O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Altice substitui redes ardidas por fibra óptica em 22 concelhos

07 dez, 2017 - 15:56

Extensão das redes a reconstruir supera os mil quilómetros que vão chegar a populações que não tinham outra solução a não ser o cobre.
A+ / A-

O presidente executivo da Altice Portugal anunciou esta quinta-feira que vai substituir as redes antigas por redes de nova geração ou fibra óptica em 22 concelhos de cinco distritos afectados pelos incêndios.

"Uma das medidas mais relevantes face ao impacto e à extensão da destruição daquilo que ardeu é que estamos a repor em redes de nova geração e em fibra óptica. Isto vai acontecer em 22 concelhos de cinco distritos (Viseu, Guarda, Castelo Branco, Coimbra e Leiria)", afirmou Alexandre Fonseca, no final da reunião do comité executivo da Altice Portugal, que decorreu em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria.

O novo presidente executivo da Altice Portugal adiantou ainda que a extensão das redes a reconstruir supera os mil quilómetros que vão chegar a populações que não tinham outra solução a não ser o cobre.

"Isto vai significar que nestes 22 concelhos, a cobertura de fibra óptica ultrapassará em média os 50% da população desses concelhos com fibra óptica", frisou.

Alexandre Fonseca anunciou ainda um conjunto de acções de responsabilidade social decididas em sede de comité executivo para apoio às populações.

"Decidimos a doação de 500 peças de mobiliário de escritório que vai ser feita essencialmente, em quatro concelhos - Oliveira do Hospital, Oliveira de Frades, Mira e Santa Comba Dão [...] - para o tecido empresarial destes concelhos poderem retomar a sua laboração normal e também equipamentos 4G para substituir a rede fixa que possa ter sido afectada", conclui.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.