O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Fim dos duodécimos: 2,3 milhões de pensionistas recebem metade do subsídio de Natal

07 dez, 2017 - 07:28

No próximo ano, este subsídio será pago por completo nos meses de Novembro (no caso da CGA) e Dezembro (na Segurança Social) a todos os pensionistas e funcionários públicos.
A+ / A-

Os cerca de 2,3 milhões de pensionistas da Segurança Social recebem, esta quinta-feira, metade do subsídio de Natal, depois de quatro anos a receberem esta remuneração em duodécimos.

Os cerca de 500 mil pensionistas da Caixa Geral de Aposentações (CGA) já receberam 50% do subsídio de Natal no mês passado, juntamente com a pensão de Novembro, e hoje será a vez dos pensionistas da Segurança Social, que recebem habitualmente a reforma ao dia 10 de cada mês, mas devido ao feriado seguido de fim de semana a pensão e o subsídio serão antecipados para hoje, último dia útil anterior à data normal.

Alguns pensionistas da Segurança Social que recebem por vale postal podem já ter recebido, uma vez que a emissão dos vales é feita a partir do primeiro dia útil de cada mês e até ao dia 12.

Desde 2012 que os cerca de 2,8 milhões de pensionistas (da Segurança Social e da CGA) recebem o subsídio de Natal em duodécimos, ou seja, ao longo dos 12 meses. Este ano, as regras alteraram-se, com metade da prestação a ser paga em duodécimos, desde Janeiro, sendo a outra metade paga na totalidade agora.

No próximo ano, o subsídio de Natal será pago por completo nos meses de Novembro (no caso da CGA) e Dezembro (na Segurança Social) a todos os pensionistas e funcionários públicos.

Os funcionários públicos receberam este ano metade do subsídio de Natal em Novembro, juntamente com o salário, à semelhança do que aconteceu com os pensionistas.

Por sua vez, para o sector privado, ainda este ano havia a opção de receber em duodécimos, mas o Orçamento do Estado para 2018 acabou com essa possibilidade, ficando a vigorar no próximo ano o que está no Código do Trabalho ou em acordos coletivos.

Alguns juristas entendem, porém, que o Código do Trabalho não impede o pagamento em duodécimos no privado desde que haja acordo com o empregador, tal como avançaram os jornais “Correio da Manhã” e o “Público”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • COSTA ILUSIONISTA
    07 dez, 2017 Lx 10:23
    Apenas propaganda do governo.São uns manipuladores estes socialistas e da extrema esquerda. Nada de novo a oeste. Se virámos a página da austeridade como diz o pantomineiro do kamarada Kosta então que pague o subsídio de natal por inteiro e se deixe de palavras ocas para enganar tolos...
  • ABEL GUIMAS
    07 dez, 2017 FAMALICÃO 09:09
    Não me parece que seja verdade, sei de pessoas que até a esta hora não viram o dinheiro na conta....................
  • Vitor Puga
    07 dez, 2017 A Dos Cunhados 08:48
    Deve ser como dizem mas ainda não recebi nada. Será atraso do BCP? Quando é que os pensionistas da privada têm direito a um documento que mencione o que estão a receber e a descontar? parece que nos estão a dar uma esmola...tomem lá e estejam calados.
  • 07 dez, 2017 08:25
    Verifiquem se pagaram mesmo ou se o dinheiro ficou nos bancos a nadar para 2ªfeira