Cabo Verde

Vulcão. Protecção Civil confirma que situação “deteriorou-se”

30 nov, 2014

Os centros de acolhimento receberam cerca de 615 pessoas que tiveram que deixar as suas casas.
Vulcão. Protecção Civil confirma que situação “deteriorou-se”
Vulcão. Protecção Civil confirma que situação “deteriorou-se”
É critica a situação na Ilha do Fogo, em Cabo Verde. O vulcão acalmou nas últimas horas, mas a lava continua a alastrar e por se encontrar a poucos metros das casas da localidade de Portela, obrigou à retirada de todas os habitantes. Na Ilha mantêm-se apenas os elementos da Protecção Civil e alguns responsáveis pela adega cooperativa local. Este domingo, o parque natural da Ilha do Fogo ficou destruído.

O presidente da Protecção Civil de Cabo Verde, Arlindo Lima, confirma à Renascença que a situação no país “deteriorou-se” devido ao avanço da lava do vulcão que está em erupção.

“A lava atingiu uma velocidade de 60 metros por hora, um metro por minuto. Foi a primeira vez desde que o vulcão entrou em erupção que se registou uma velocidade tão elevada. A partir das dez da manhã, manteve-se nos 20 metros por hora”, disse.

Arlindo Lima referiu ainda que “os centros de acolhimento têm cerca de 615 pessoas”.

“O parque natural da Ilha do Fogo ficou completamente destruído e a lava está a cerca de dois quilómetros da localidade de Bangaeira e a Portela corre o risco de ficar soterrada”, acrescentou.

Segundo a Protecção Civil, a situação está “em estado crítico”.

O vulcão da ilha cabo-verdiana do Fogo entrou no domingo, dia 23 de Novembro, em erupção e obrigou a um plano de evacuação em vários pontos da ilha.