O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|

Papa Francisco assegura vontade de aprofundar diálogo ecuménico

20 mar, 2013 • Aura Miguel

O Santo Padre falou com os líderes religiosos sentado e ao mesmo nível que estes, quebrando mais uma tradição na busca de criar pontes com os cristãos separados de Roma.  
O Santo Padre falou com os líderes religiosos sentado e ao mesmo nível que estes, quebrando mais uma tradição na busca de criar pontes com os cristãos separados de Roma.
O Papa Francisco assegurou, hoje, a sua firme vontade de prosseguir com o diálogo ecuménico.

Num encontro, ao fim da manhã de quarta-feira, com representantes de outras Igrejas, o Papa recordou a importância do Concilio Vaticano II, na procura do entendimento, e voltou a fazer um apelo à solidariedade entre todos os cristãos.

Em nome dos líderes religiosos presentes, o Patriarca de Constantinopla, Bartolomeu I, descreveu Francisco como um Papa que escolheu o essencial, referindo-se à simplicidade que tem marcado o início do seu pontificado.

O Papa falou sentado, sem estrado, ao mesmo nível que os seus convidados, num importante sinal que será, certamente, bem recebido pelos líderes das igrejas separadas de Roma.

Num clima muito afável, o Papa Francisco falou individualmente com cada pessoa e recebeu presentes de muitos dos que participaram no encontro.

O Papa reforçou a necessidade de os cristãos se manterem unidos ao serviço da esperança, num mundo marcado por divisões e contrastes, e fez ainda um apelo que deve abranger os não cristãos, para se unirem no sentido de ajudar o mundo a evitar a armadilha mais perigosa da actualidade: reduzir o homem ao que ele produz ou ao que consome, esquecendo que o mais fundamental no homem é a sede de Deus e de absoluto.