O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.

Governo investe no turismo de saúde

29 nov, 2012 • Joana Bénard da Costa

Turquia, onde este modelo rende milhares de milhões de euros por ano, é um exemplo que Portugal quer seguir.  
O Governo e uma série de empresas ligadas ao sector estão a afinar estratégias para tentar atrair doentes estrangeiros.

O plano será apresentado no início do próximo ano mas o ministério da Saúde já está a trabalhar com o turismo e com as empresas para lançar Portugal como destino do turismo de saúde.

O tema foi hoje debatido numa conferência em Cascais. Luis Portela, que para além de presidente da Bial dirige o Health Cluster, uma associação que agrupa mais de cem empresas privadas no sector e acredita que o país tem todas as condições para atrair doentes estrangeiros que precisem de cuidados prolongados.

“Uma pessoa que parte uma perna, que tem problemas reumatismais. Um alemão, e repare o número de alemães que sai à procura de soluções na área da saúde é o maior na Europa, ou um nórdico, ou um inglês, se calhar prefere fazer uma terapêutica que vai demorar uns meses num país simpático, que acolhe bem, onde há temperaturas e clima mais agradável e onde há boas unidades de saúde e boa hotelaria associados.”

Luis Portela lembra que o grande investimento já está feito. Portugal tem as infra-estruturas, tanto na saúde como no turismo, agora é preciso definir os mercados a conquistar lá fora e onde se aposta cá dentro: “Em relação ao que são as ofertas normais do mercado, escolheremos aquilo em que somos realmente bons e onde podemos ser atraentes para o consumidor europeu, dos Palop e outros consumidores”.

O trabalho está a ser desenvolvido em conjunto com o Ministério da Saúde e com a Secretaria de Estado do Turismo e, pelo meio, a diplomacia económica. O Turismo de Portugal promete apoiar, a partir do momento em que os projectos estiverem definidos.

Exemplo turco
Este é um percurso que alguns países começaram a percorrer há vários anos. A Turquia é um dos exemplos; o turismo da saúde movimenta milhares de milhões de euros por ano de acordo com Levent Bas, do organismo que promove esta área de negócio no país, que a Turquia é procurada por doentes de mais de 40 países, desde logo pelos vizinhos que estão ou estiveram em guerra: “Como a Líbia neste momento, da Síria, onde não sabemos o que vai acontecer, o Iraque. Há dinheiro, mas não há bons hospitais e quem tem dinheiro vem à Turquia”.

Este será um dos motivos do sucesso da Turquia no turismo de saúde, mas não é o único; a localização geográfica, os preços e um forte marketing estratégico explicam o resto da história.

Um exemplo que os empresários portugueses estão a estudar quando surgem as primeiras experiências a nível nacional. Aguarda-se ainda a apresentação de um plano estratégico, mas o Governo e as empresas acreditam que este pode ser um dos caminhos para atrair capital estrangeiro e tornar o país mais competitivo.