O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.

Ministro da Saúde quer reduzir custos com diabéticos

15 fev, 2012

Paulo Macedo defende prevenção através de mudança de hábitos de alimentação.
"É preciso reduzir os custos com medicamentos para a diabetes", afirmou esta quarta-feira o ministro da Saúde, Paulo Macedo, no dia em que foi apresentado o relatório anual do observatório da diabetes.

Os dados de 2010 mostram que o número de novos casos continua a subir, também nos jovens, e que muitos doentes não estão diagnosticados.

Paulo Macedo diz que o relatório tem vários aspectos que considera preocupantes: “Primeiro, o número de pessoas com doença não detectada; segundo, é termos claro que através de políticas de promoção de saúde, designadamente na prevenção nos hábitos alimentares, podemos ter um contributo para minorar a prevalência da doença”.

A questão financeira não é menosprezada pelo ministro: “Não são minimamente sustentáveis os custos desta ordem, sobretudo numa doença que vai crescer”.

"Difícil de explicar" é também o que se gasta com tiras de glicémia, diz o ministro da Saúde, que está a tentar negociar com a indústria farmacêutica para conseguir preços mais baixos.

Os dados agora divulgados mostram que os encargos para o estado e para os doentes com diabetes têm vindo a subir nos últimos anos. Os custos com a doença representam quase 1% do produto interno bruto.

Tendo em conta que o número de doentes com diabetes vai continuar a subir, "a única solução", afirma Paulo Macedo, "é conter" os custos com a doença.