O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.

Nasce o Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

29 out, 2014

O Instituto, o maior do género em Portugal, está envolvido em projectos do Observatório Europeu do Sul, e em várias missões da agência espacial europeia ESA.
Nasceu esta quarta-feira o Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA), o maior do género em Portugal, resultado da fusão entre o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa.

José Afonso, da direcção do novo Instituto, acredita que a fusão vai reforçar a participação portuguesa nos grandes projectos internacionais na área das ciências espaciais.

O IA foi criado para "aumentar a capacidade de massa crítica" e de financiamento para projectos internacionais, numa área em que Portugal está "bem cotado", adiantou.

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço agrega 63 investigadores doutorados, tornando-se no maior desta área em Portugal.

O IA está envolvido em projectos do Observatório Europeu do Sul, como a definição das câmaras do Telescópio Extremamente Grande, em construção, e que permitirá observar o Universo com mais detalhe.

A instituição participa igualmente em várias missões da agência espacial europeia ESA, como a CHEOPS, prevista para 2017, para estudar planetas extrassolares, e a EUCLID, com lançamento apontado para 2020, para compreender a estrutura do Universo.

José Afonso garante que o facto de o Instituto funcionar em dois locais - Lisboa e Porto - não será obstáculo à investigação científica.