O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.

São cada vez mais os jovens médicos que pensam em emigrar

22 mai, 2013

No dia em que "O futuro do jovem médico em Portugal" é tema de uma conferência, o bastonário José Manuel Silva sublinha que o Serviço Nacional de Saúde português “é dos melhores do mundo” e que os seus problemas se devem à “má governação de sucessivos governos”.
Está a aumentar o número de jovens médicos que pensa emigrar, nuns casos por dificuldade de colocação em Portugal, noutros porque as condições de trabalho e a remuneração são melhores além-fronteiras.

“Estão claramente a aumentar aqueles que pedem certidões que lhes permitem emigrar. Não temos a confirmação de se emigram ou não, mas esse é um tema diário nas conversas entre os jovens médicos e os alunos de Medicina, que já equacionam, à cabeça, a perspectiva da emigração”, confirma à Renascença o bastonário da Ordem dos Médicos, José Manuel Silva.

“O futuro do jovem médico em Portugal" é tema de uma conferência que decorre esta quarta-feira à tarde no Porto e onde é orador o antigo secretário de Estado da Saúde Manuel Pizarro. O agora candidato do PS à Câmara do Porto defende uma redução dos “numerus clausus” para os cursos de Medicina.

“O que terá de ocorrer num futuro próximo é uma redução do número clausus porque várias faculdades de Medicina têm já mais alunos do que é a sua capacidade de lhes dar a formação adequada e isso, sim, parece-me inegociável”, afirma.


Futuro incerto num país de “consecutiva má governação”
O bastonário da Ordem dos Médicos mostra-se cauteloso quando fala sobre o futuro da classe em Portugal.

“Há muitos jovens médicos em Portugal que têm futuro e outros que dificilmente terão futuro em Portugal”, começa por dizer.

Se o futuro é, por definição, incerto, o estado do país torna tudo ainda mais difícil de prever: “As regras e as perspectivas de futuro na saúde estão sempre a mudar e o próprio futuro do país é uma incógnita”.

Mas quando se fala em Serviço Nacional de Saúde, José Manuel Silva é peremptório a indicar o que está mal.

“Quando se fala na insustentabilidade do Serviço Nacional de Saúde, respondo dizendo que o Serviço Nacional de Saúde é dos melhores do mundo e os problemas na saúde são problemas do país, problemas económico-financeiros do país por má governação de sucessivos governos com reflexos negativos na saúde”, sustenta.