|

Festival de Sintra faz 50 anos e renova-se através da net

08 mai, 2015

Edição deste ano será de homenagem a uma das patronas do evento, a Marquesa Olga de Cadaval.

O mais antigo festival de música de Portugal celebra meio século de vida e, aos 50 anos, tem novidades. Este ano, o Festival de Sintra vai ter alguns dos concertos transmitidos em directo pela internet e outros em diferido, em espaços públicos das freguesias mais populosas do concelho.

O festival de música romântica começa sábado e prolonga-se até 7 de Junho, em locais emblemáticos como os Palácios Nacionais de Sintra e Queluz ou a Quinta da Piedade.

A edição deste ano presta homenagem a uma das patronas deste evento, a Marquesa Olga de Cadaval, explica à Renascença o director do Festival, Adriano Jordão.

"Temos uma evocação da Marquesa olga de Cadaval através dos compositores aos quais ela esteve ligada. Recordo sempre com emoção que foi através da Marquesa de Cadaval que conheci o Stravinsky aqui em Lisboa, quando ele esteve cá. Foi, aliás, na casa dela que eu conheci grandes figuras da música como o Rubinstein. Era uma aristocrata, no verdadeiro sentido da palavra, com uma simplicidade e uma generosidade no trato extraordinárias. Foi por ser uma grande mulher da europa que eu fiz questão que o festival começasse no Dia da Europa", afirma.

A abertura do festival fica a cargo do pianista Nélson Freire.

"No início dos anos 60 havia um jovem que foi dos grandes apoiados pela Marquesa Olga Cadaval. O Nélson mudou a sua vida para estar cá e vai abrir o festival numa homenagem a uma pessoa a quem ele deve muito", acrescenta.