|

Capital Europeia da Cultura deu retorno de milhões

05 jul, 2013

Guimarães 2012 gerou mais de dois mil postos de trabalho, indica estudo da Universidade do Minho.

A Guimarães 2012 - a Capital Europeia da Cultura contribuiu com 85 milhões de euros para o Produto Interno Bruto (PIB) nacional.
 
Um estudo da Universidade do Minho, apresentado esta quinta-feira, revela que o evento cultural gerou receitas fiscais de 30,8 milhões de euros, mais 3,6 milhões do que o investimento feito pelo Estado.

No turismo registou-se um aumento de 43% no número de dormidas, no comércio 80% fala em impacto positivo. Em termos de emprego o evento gerou mais de dois mil postos de trabalho.    

Carlos Martins, director executivo da Capital Europeia da Cultura, faz um balanço positivo também do impacto que o evento teve na cidade de Guimarães.

“Ficámos muito satisfeitos por saber que o investimento público na Capital Europeia da Cultura foi devolvido ao Estado português e à economia, como um todo, nomeadamente através do PIB e do impacto fiscal.”

A Capital Europeia da Cultura, sublinha Carlos Martins, “não foi feita como um instrumento financeiro, foi feita sobretudo como um instrumento social  e humano e foi muito mais importante saber que esse retorno foi sentido pelos vimaranenses”.

“Viu-se que em Guimarães, num ano de crise, o desemprego não cresceu tanto como nos outros sítios, que o turismo aumentou, que o investimento privado cresceu, além do público, portanto, que a cultura traz valor social, mas também traz valor económico. Penso que o país tem andando arredado deste debate. Preocupamo-nos muito com os orçamentos do Estado e poucas vezes com o que é o fundamento da vida das pessoas e das cidades”, diz o director executivo da Guimarães 2012.