|

Egipto

Família condenada a 15 anos de prisão por conversão ao Cristianismo

14 jan, 2013

Nadia Ali Mohamed converteu-se ao Islão para poder casar com um muçulmano. Depois da morte do marido, procurou regressar ao Cristianismo, mas foi impedida.

Um tribunal egípcio condenou uma mulher e os seus sete filhos a 15 anos de prisão por terem tentado alterar os seus documentos para reflectir uma conversão ao Cristianismo.

Nadia Ali Mohamed nasceu numa família cristã mas converteu-se oficialmente ao Islão para poder casar com um muçulmano. Depois de enviuvar, contudo, Nadia procurou converter-se novamente ao Cristianismo, juntamente com os seus sete filhos.

Uma vez que a religião está registada nos documentos de identidade dos egípcios, para o fazer foi necessário tentar alterar a documentação, algo que já estava a ser feito, com a ajuda de alguns funcionários dos registos, quando a polícia tomou conhecimento do caso.

Levados a tribunal, tanto a mulher como os seus sete filhos foram condenados a 15 anos de prisão, segundo a agência católica AsiaNews.

A lei egípcia dificulta ao máximo a conversão do Islão para qualquer outra religião. Já o processo inverso é permitido e, frequentemente, até encorajado.