“Tenho muitas saudades de Deus”

16 nov, 2012

Ana Luísa Amaral confessa que gostava de ter fé e D. Carlos Azevedo explica o conceito do Átrio dos Gentios, no debate que ocorreu hoje na Renascença.
O arranque o Átrio dos Gentios, que decorre até sábado em Braga e Guimarães, subordinado ao tema “O Valor da Vida”, foi assinalado na Renascença com um debate que juntou a escritora Ana Luísa Amaral e o bispo português D. Carlos Azevedo.

Para D. Carlos, o tema do valor da vida vem muito a propósito: “O tema do valor da vida nunca foi abordado nas diferentes sedes. Ao escolhê-lo tivemos consciência de que é algo que reúne as pessoas. Crentes e não crentes amam a vida, defendem a dignidade e têm inquietações sobre estas questões.”

Apesar de se mostrar incomodada com o título dos eventos, “que aponta para um espaço da tolerância, mais do que da solidariedade”, Ana Luísa Amaral diz que não sabe muito bem de que lado se deve colocar neste debate: “Não sei se não sou crente, acredito em muita coisa. Não sei se acredito em Deus ou não. Acredito sobretudo no espírito humano, acho que a arte mais do que elevar, solidariza, agrega, é um espaço de cuidado. O valor da vida para mim leva-me à ideia de cuidar do outro.”

Apesar disso, a poetisa confessa que a falta de fé em Deus é algo que lhe custa: “Tenho muitas saudades de Deus. Gostava muito de acreditar. A busca está cá. Gostava muito.”

O debate decorreu ao início da tarde na Renascença e pode ser ouvido na íntegra.