O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.

Cristãos de Lisboa andam a "Escutar a cidade"

18 jun, 2015 • Ângela Roque

“Linguagens, Espiritualidades, Sexualidades e Convicções” é o tema proposto para a sexta e última sessão da série de encontros que, desde Janeiro, tem ouvido personalidades de várias áreas e sem ligação à Igreja. Promotores fazem balanço muito positivo da iniciativa.
Dos vários encontros já realizados saíram vários desafios, mas também o reconhecimento do papel importante que os católicos podem ter como agentes de mudança. É o que sublinha Helena Topa Valentim, da organização da iniciativa Escutar a Cidade.

Para esta professora universitária, é desde logo muito positivo que a organização da iniciativa tenha reunido tantos cristãos: “Estamos envolvidos mais de 30 movimentos e comunidades paroquiais da diocese. O que já é, por si só, um acontecimento. Num balanço que façamos, não podemos ignorar este dado”.

A iniciativa foi pensada para ouvir “interlocutores que não têm pertença ecclesial”, mas que podem ajudar os cristãos a reflectir sobre aspectos que preocupam a todos, crentes e não crentes. E, ao longo das várias sessões, diz Helena Valentim, “houve propostas de leitura da realidade muito estimulantes”. Foi partilhada “alguma insatisfação” mas também “um sentido de esperança, muitas vezes até depositado naquilo que pode ser a acção da Igreja”.

Helena Valentim garante que a disponibildade dos organizadores para “a escuta” foi total, e que todos os oradores convidados “corresponderam sempre muito generosamente”. As conclusões e os desafios lançados nos vários encontros vão ser entregues a quem está a preparar o Sínodo Diocesano de 2016.

A sessão desta quinta-feira é sobre ‘Linguagens, espiritualidades, sexualidades e convicções’, um tema propositadamente no plural “para que transpareça esta consciência da pluralidade em que nos movemos, que é um dado incontornável e desafiador”, sublinha. Foram convidados oradores de várias expressões artísticas: Ana Luisa Amaral é escritora, Margarida Cardoso é cineasta, Madalena Victorino é coreógrafa e dançarina. Participa ainda o psicólogoTelmo Baptista. A sessão está marcada para as 19h00, no Fórum Lisboa.