|

Princípio e Fim

De actor a monge contemplativo

21 dez, 2014 • Ângela Roque

A escolha de vida de um jovem de 20 anos e a festa de Natal da Comunidade Vida e Paz foram dois dos destaques do “Princípio e Fim”.

No último domingo do Advento, e ainda a propósito do Ano da Vida Consagrada, ouvimos mais um testemunho de “gente feliz com fé”. Duarte Catarré queria ser actor, mas isso não o preencheu. Passou pelo seminário, fez uma experiência junto dos carmelitas, e agora encontra-se em discernimento para optar por um caminho que é raro nos tempos que correm, sobretudo entre os homens: quer ser monge contemplativo.

Mais de 1.200 voluntários asseguraram a Festa de Natal da Comunidade Vida e Paz. Uma festa para os sem-abrigo, que a instituição do Patriarcado de Lisboa já ajuda 365 dias por ano, mas por onde passaram muitas famílias carenciadas. A nossa reportagem esteve na Cantina da Cidade Universitária e viu como ir ao barbeiro ou ao dentista são pequenos luxos para quem nada tem.

O Natal nem sempre é fácil para as crianças que vivem institucionalizadas. No programa desta semana passamos por S. Romão, em Seia, onde funcionárias de um Centro de Acolhimento de Crianças em Risco levam para as suas casas  os meninos que não podem passar a consoada com a família.

Em destaque esteve ainda a reportagem “Quem cuida dos cuidadores?”, sobre o difícil dia a dia de quem trata de idosos e doentes dependentes em casa. Divulgámos, ainda, a campanha  “Presentes Solidários”, da Fundação Fé e Cooperação, e ouvimos um jovem de Belém que está em Lisboa a vender presépios feitos à mão por cristãos palestinianos. O jovem Nicolas falou-nos das dificuldades de manter a fé na Terra Santa, garantindo que os cristãos dão muito valor ao facto de viverem tão perto do local onde Jesus nasceu.

Na crónica desta semana Catarina Martins, da Fundação “Ajuda à Igreja que Sofre”, falou-nos da coragem e do empenho de um padre jesuíta para que este Natal seja um pouco melhor para as crianças cristãs que vivem em Homs, na Síria. Quem quiser contribuir para esta campanha pode entrar em contacto com AIS através do telefone 217 544 000, ou pelo email apoio@fundacao-ais.pt