Tribunal Europeu intervém para impedir morte assistida

25 jun, 2014

Vincent Lambert encontra-se actualmente em estado vegetativo. A sua mulher quer que os médicos o ajudem a morrer, deixando de o alimentar e hidratar, mas os pais de Vincent rejeitam a ideia.
Tribunal Europeu intervém para impedir morte assistida
O Tribunal Europeu dos Direitos do Homem interveio na noite de terça-feira para impedir a morte assistida de um cidadão francês.

O caso de Vincent Lambert tem causado grande polémica em França, onde o Presidente François Hollande já indicou querer facilitar o acesso à eutanásia.

Vincent Lambert sofreu um acidente há seis anos, encontrando-se actualmente em estado vegetativo. A sua mulher quer que os médicos o ajudem a morrer, deixando de o alimentar e hidratar, mas os pais de Vincent rejeitam a ideia.

O tribunal francês decidiu na terça-feira que se tratava de uma “obstinação” manter Vincent vivo e afirma que ele deixou clara a sua opinião sobre este tipo de situação antes do acidente.

Mas o Tribunal dos Direitos do Homem, numa decisão anunciada na noite de terça-feira, mandou suspender qualquer acto que possa conduzir à morte de Lambert.

A decisão surgiu no mesmo dia em que o tribunal britânico considerou que a proibição da eutanásia colide com os direitos humanos. Cinco dos nove juízes daquele tribunal sugeriram, por isso, que o Parlamento mude a lei, que actualmente proíbe a morte assistida.