Padre tornou-se agricultor para ajudar comunidade

19 jun, 2014 • Liliana Carona

Sem ajudas de ninguém, o pároco de Ferreiros de Tendais produz toneladas de fruta e legumes. E já começou a criar empregos na aldeia.
Padre tornou-se agricultor para ajudar comunidade
Padre tornou-se agricultor para ajudar comunidade
Passar da palavra à acção. Foi o que decidiu fazer um padre de Cinfães, que criou uma exploração agrícola na freguesia de Ferreiros de Tendais, onde é pároco e observou níveis de desemprego alarmantes.

Para já, Sérgio Lemos, de 38 anos, dá emprego a duas pessoas, mas o investimento pessoal, criado há três anos só agora dá os primeiros frutos.

Mesmo ao lado da igreja abre-se um portão, que conduz a duas grandes estufas cheias de fruta e legumes. "Temos cerca de sete mil quilos de tomate, calculamos ter 300 quilos de morangos por semana", explica o sacerdote.

Filho de pais agricultores, o padre Sérgio Lemos chegou há sete anos a Ferreiros de Tendais e logo descobriu que não podia só pregar. "Ferreiros é uma das freguesias mais pobres do concelho de Cinfães. Grande parte das pessoas são beneficiárias do RSI. Quando cheguei aqui grande parte do espaço da paróquia estava por cultivar e por isso passei mesmo da palavra à acção".

São 3000 metros quadrados de área coberta em estufa, um investimento de 70 mil euros, sem ajuda do Estado ou de fundos comunitários. "Esta ideia pretende dizer às pessoas que podem criar, ter poder de iniciativa, é necessário pôr em acção", vinca.

Os produtos são vendidos no concelho de Cinfães, nos mercados locais, pelas mãos de Fábio Dias, de 23 anos. Desta forma, Fábio ganhou um emprego.

"A minha área é restauração. Tirei o curso, fiz o estágio, mas o pessoal jovem, e não só, está todo no desemprego. Nunca exerci mas o padre convidou-me para vir para aqui trabalhar e aproveitei. Se alguém quiser meloa, morango ou melancia é só contactarem-me, que levamos lá", diz Fábio.