Ronaldo cita Papa Francisco em mensagem de incentivo

16 jun, 2014 • Filipe d’Avillez

"Ninguém vence sozinho, nem no campo nem na vida", diz a estrela portuguesa. Papa argentino revela ter prometido a Dilma que não vai rezar pela vitória do seu país no mundial.
Ronaldo cita Papa Francisco em mensagem de incentivo
Cristiano Ronaldo citou esta segunda-feira o Papa Francisco, numa mensagem de incentivo à selecção nacional de futebol, publicada na sua conta oficial do Facebook.

O capitão garante que esta tarde, quando a "epopeia" portuguesa "finalmente começar”, os adeptos a torcer pela vitória de Portugal serão “muito mais do que 10 milhões”.

“Seremos ainda paixão, emoção, crença, determinação, perseverança. Seremos espírito de vitória. Seremos esperança. Todos juntos, de mãos dadas e corações unidos, a uma só voz”, diz o jogador.

De seguida, a estrela da selecção portuguesa faz questão de enfatizar o esforço conjunto da equipa, colocando de lado qualquer individualismo: “Porque, e parafraseando o Papa Francisco, ninguém vence sozinho, nem no campo nem na vida. Força Portugal!"


Ronaldo refere-se à mensagem de apoio que o Papa enviou a todos os participantes, por ocasião do arranque do campeonato do Mundo que, por estes dias, decorre no Brasil.

Na sua vídeo-mensagem o Papa disse: “Ninguém vence sozinho, nem no campo nem na vida! Que ninguém se isole e se sinta excluído! Atenção! Não à segregação, não ao racismo! E, se é verdade que, ao término deste Mundial, somente uma selecção nacional poderá levantar a taça como vencedora, aprendendo as lições que o desporto nos ensina, todos vão sair vencedores, fortalecendo os laços que nos unem”.

O Papa Francisco é conhecido por ser adepto de futebol. Sendo argentino, o Papa torce naturalmente pela vitória da sua selecção, mas sempre realçando a necessidade de se respeitar o fair-play. Contudo, o Papa confessou, em palavras registadas pelo “La Vanguardia” de Barcelona, que tinha prometido a Dilma Rousseff, presidente do Brasil, que não rezaria por uma vitória da Argentina no torneio.

“Os brasileiros pediram neutralidade. Eu honrarei a minha palavra, porque o Brasil e a Argentina são sempre rivais”, afirmou Francisco, em tom de brincadeira.