Encontro Israel-Palestina no Vaticano para dar novo "fôlego" à busca da paz

06 jun, 2014 • Aura Miguel

Os presidentes de Israel e da Palestina encontram-se no Vaticano, no domingo, a convite de Francisco. "O desejo do Papa é levantar o olhar e ir mais longe”, revelou o responsável pela custódia da Terra Santa.
Encontro Israel-Palestina no Vaticano para dar novo "fôlego" à busca da paz

O Papa Francisco, o Patriarca Bartolomeu de Constantinopla e os presidentes de Israel, Shimon Peres, e da Palestina, Mahmoud Abbas, vão estar lado a lado no domingo, no Vaticano, para um encontro que pode dar um novo “fôlego” às relações no Médio Oriente.

“Ninguém tem a presunção de crer que no dia seguinte haverá paz na Terra Santa, mas a intenção é fazer um gesto forte para trazer, também ao âmbito da discussão política, um fôlego que falta, de visão do alto e para o alto, e também para causar impacto na opinião pública”, afirmou, esta sexta-feira, em conferência de imprensa, o responsável pela custódia da Terra Santa, Padre Pizzaballa.

“É uma pausa no que refere à política. O Santo Padre não quer entrar dentro das questões políticas do conflito israelo-palestiniano que todos conhecemos. O desejo do Papa é levantar o olhar e ir mais longe”, revelou o Padre Pizzaballa.

O encontro, convocado durante a visita do Papa à Terra Santa, realiza-se nos jardins do Vaticano e inclui três momentos distintos de oração intercalados por música.

“Primeiro, um agradecimento pela criação; depois, um pedido de perdão; e uma invocação de paz. Depois das três intervenções, haverá um gesto de paz, provavelmente, um aperto de mãos em comum e há o gesto de plantar uma oliveira, símbolo da paz”, explicou o director da Sala de Imprensa da Santa Sé, Padre Federico Lombardi.

“É claro que judeus, cristãos e muçulmanos não podem ter um acto litúrgico comum. Por isso, não haverá nada que leve a crer tratar-se de um acto litúrgico. É uma invocação comum. Não rezam juntos; estão juntos para rezar. Quanto aos textos, todos sabem tudo de todos, ou seja, transparência absoluta”, referiu o Padre Pizzaballa.

Cada um dos quatro protagonistas do próximo domingo será acompanhado de uma delegação cujos nomes ainda não foram revelados.