O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.

Islamitas nigerianos matam 62 pessoas, incluindo pelo menos 22 cristãos

27 jan, 2014

O grupo islamita opera há vários anos na Nigéria, sobretudo no Norte, onde a população é maioritariamente islâmica. Os ataques a igrejas e locais de culto cristãos são um dos métodos preferidos.
Uma série de ataques levados a cabo por insurgentes islamitas provocaram pelo menos 62 mortos domingo e segunda-feira, na Nigéria.

Os militantes do grupo armado Boko Haram atacaram uma igreja católica na aldeia de Waga Chakawa, no Estado de Adamawa, disparando sobre os fiéis e rebentando explosivos, antes de incendiarem casas e levarem reféns, num golpe que durou quatro horas e que custou a vida a pelo menos 22 pessoas.

Este atentado teve lugar no domingo, numa altura em que a igreja estava cheia.

Noutro ataque separado, no Estado de Borno, os terroristas mataram pelo menos 40 pessoas esta segunda-feira. A aldeia de Waga Chakawa fica junto à fronteira do Estado de Borno, levando a crer que se trata do mesmo grupo que levou a cabo ambos os ataques.

O grupo islamita opera há vários anos na Nigéria, sobretudo no Norte, onde a população é maioritariamente islâmica. Os ataques a igrejas e locais de culto cristãos são um dos métodos preferidos.

O objectivo do Boko Haram é a imposição da lei islâmica no país. A Nigéria está dividida mais ou menos ao meio entre o Norte muçulmano e o Sul cristão.