O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.

Bento XVI deixou clausura para inaugurar estátua de São Miguel no Vaticano

05 jul, 2013 • Filipe d’Avillez

Os dois papas estiveram juntos esta manhã nos jardins do Vaticano, no mesmo dia em que é lançada a encíclica escrita pelos dois.                    
Bento XVI deixou clausura para inaugurar estátua de São Miguel no Vaticano
Bento XVI deixou clausura para inaugurar estátua de São Miguel no Vaticano
Os dois papas que residem no Vaticano - o reinante, Francisco e o emérito, Bento XVI - estiveram novamente juntos na manhã desta sexta-feira, nos jardins do Vaticano. O motivo do encontro foi a inauguração de uma estátua do Arcanjo São Miguel, nos jardins do Vaticano, e respectiva consagração da Santa Sé à protecção do mesmo.
Os dois papas que residem no Vaticano, o reinante, Francisco e o emérito, Bento XVI, estiveram novamente juntos na manhã desta sexta-feira, nos jardins do Vaticano.

O motivo do encontro foi a inauguração de uma estátua do Arcanjo São Miguel, nos jardins do Vaticano, e respectiva consagração da Santa Sé à protecção do mesmo. 

A importância dada por Francisco a esta imagem é compreensível, uma vez que na iconografia e na devoção católica o Arcanjo São Miguel é apresentado como o protector contra as influências demoníacas. A tradição cristã indica precisamente que quando Satanás se revoltou contra Deus foi Miguel que o prendeu e lançou para fora do Céu.

O Papa Francisco tem sido incansável nas suas palavras sobre o demónio, alertando frequentemente para a sua influência e para a ameaça que apresenta aos fiéis.

Após uma pequena cerimónia o Papa Francisco dirigiu-se aos presentes explicando que mesmo que Satanás procura deformar a face do arcanjo e, consequentemente, da humanidade, Miguel acaba sempre por vencer porque é mais forte, uma vez que age em nome de Deus.

O encontro entre os dois papas, que estiveram rodeados de mais cerca de uma centena de pessoas, foi natural e amigável, como têm sido as anteriores, e revela que eram infundados os medos de que a convivência dos dois no Vaticano pudesse ser de alguma forma embaraçosa ou inadequada.

Segundo o site italiano “Vatican Insider”, foi Francisco quem fez questão de convidar pessoalmente Bento XVI a participar na inauguração, isto na mesma manhã em que é apresentada a encíclica “A Luz da Fé”, a primeira de Francisco mas que começou por ser escrita por Bento XVI.