Possível ou impossível?

29 jan, 2013

A Renascença apurou que António Costa vai avançar para a liderança da Câmara de Lisboa e do PS. Saiba o que o autarca disse sobre esta acumulação de cargos há ano e meio.
Possível ou impossível?
Possível ou impossível?

Em Junho 2011, António Costa declarou ser impossível acumular o cargo de secretário-geral do PS com a presidência da Câmara de Lisboa. Esta terça-feira à noite, ao que a Renascença apurou, vai mesmo avançar nestas duas frentes.

Quando o PS discutia a sucessão de José Sócrates, há cerca de ano e meio, António Costa deixou claro o seu ponto de vista: “Não é possível acumular a liderança do PS e a presidência da Câmara Municipal de Lisboa. O PS precisa de um secretário-geral a tempo inteiro e o município de Lisboa de um presidente com dedicação exclusiva”, afirmou o autarca socialista.

“Tenho a certeza que os meus camaradas do PS são os primeiros a compreender que honrar a confiança que em mim depositam os lisboetas, cumprir o compromisso que assumi com a cidade que me elegeu, exercer com total paixão as funções públicas que me estão confiadas, é não só meu dever, como o melhor contributo que posso dar para credibilizar a política e a prestigiar o próprio Partido Socialista”, disse na altura António Costa.

O antigo ministro vai recandidatar-se à Câmara de Lisboa e entrar na corrida à liderança do Partido Socialista, apurou esta terça-feira a Renascença junto de fonte próxima do autarca.

António Costa  vai apresentar-se nas próximas eleições autárquicas, marcadas para Outubro deste ano, onde vai ter pela frente o social-democrata Fernando Seara. Em simultâneo, prepara-se para travar uma batalha pela liderança do PS com António José Seguro, numa altura em que várias vozes do partido se têm levantado a pedir a realização de um congresso antes das autárquicas.