|

Soares sugere novo Governo sem recurso a eleições

18 set, 2012

Antigo Chefe de Estado considera que o Executivo de Passos Coelho “está moribundo”.

Soares sugere novo Governo sem recurso a eleições

O ex-Presidente da República Mário Soares considera que o Executivo liderado por Pedro Passos Coelho está "moribundo" e sugeriu que o chefe de Estado nomeie um novo Governo sem recurso a eleições antecipadas.

Questionado sobre a situação política do país, Mário Soares afirmou que o actual Governo de coligação PSD/CDS "está moribundo".

"Se o Governo não se sente moribundo é porque não tem sensibilidade. Se o Governo tivesse sensibilidade talvez se demitisse, mas como não tem sensibilidade não se demite por enquanto. Mas devia demitir-se, como já devia ter demitido o senhor [ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares] Miguel Relvas e não demitiu", referiu o ex-Presidente da República.

Confrontado com a gravidade de um cenário de crise política em Portugal, num momento em que o país se encontra sob assistência financeira externa, o ex-chefe de Estado deu a seguinte resposta: "Mas se o país ficar assim [como está], acham que Portugal fica bem?".

"A crise está instalada. Querem maior crise do que o país a gritar vão-se embora e a chamar gatunos aos membros do Governo? Foi o que aconteceu no sábado", comentou.

Neste contexto, Mário Soares foi questionado se é possível ser nomeado um novo Governo sem recurso a eleições antecipadas, respondendo que esse cenário é possível "e depende do Presidente da República", Cavaco Silva.

A posição do fundador do PS, antigo primeiro-ministro e membro do Conselho de Estado, foi assumida após presidir na Fundação Mário Soares à inauguração de uma exposição de fotografias de Ingeborg Lippman, intitulada "Um olhar sobre Portugal".