O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
Ouvir Emissão
Acabou de Tocar LIGHTHOUSE FAMILY - HIGH Acabou de Tocar

Últimas NotíciasPaísMundoPolíticaEconomiaReligiãoCulturaSaúde e CiênciaInfo A-ZEspeciaisSínodoPodcast

Função pública

Subsídios de férias e de Natal só vão ser repostos a partir de 2015 e de forma gradual

Subsídios de férias e de Natal só vão ser repostos a partir de 2015

  • Áudio Comentário de Raquel Abecasis

  • Áudio Subsídios de férias e Natal só começam a ser repostos a partir de 2015

Corte não termina no fim de 2013 e vai durar mais um ano. "O nosso programa de ajustamento decorre até 2014. Portanto, só depois disso. Com que ritmo, com que velocidade, não sabemos", refere Passos Coelho em entrevista à Renascença. Primeiro-ministro diz ainda que vê vantagens na redistribuição dos subsídios por 12 salários.
04-04-2012 17:58

Os subsídios de férias e de Natal dos funcionários públicos só começam a ser repostos a partir de 2015. Em entrevista à Renascença, o primeiro-ministro afirma que a reposição dos 13º e 14º meses vai ser gradual.

"Creio que [a reposição] é depois de 2014, porque o nosso programa de ajustamento decorre até 2014. Portanto, só depois disso. A partir de 2015, haverá reposição desses subsídios. Com que ritmo, com que velocidade, não sabemos", começa por dizer Passos Coelho.

"Qual é o grau de reposição? Quanto tempo vai demorar? Não sabemos. E não sabemos porquê? Porque eu não conheço as condições que vão existir em 2014 e 2015", explica.

"Sabemos, sem ter uma bola de cristal, que eles não serão retomados automaticamente, porque dificilmente o Estado conseguiria encaixar num ano a reposição de todos esse benefício", acrescenta o chefe de Governo.

Diluição dos subsídios foi equacionada este ano
Em entrevista à Renascença, Passos Coelho admite mesmo que a redistribuição dos subsídios por 12 meses é uma possibilidade na qual vê vantagens. Ou seja, todos os trabalhadores – público e privados – podem passar a receber 12 salários e não 14, sendo o valor dos 14 redistribuído pelos 12.

"É uma possibilidade. Não a posso afastar. Posso dizer que chegámos a equacionar essa possibilidade já para este ano. O que nos pareceu é que haveria reformas a mais, que poderiam não ser bem entendidas", afirma.

"Eu, por acaso, não vejo grandes inconvenientes. Pelo contrário, vejo até vantagens em que um dia possamos fazer essa discussão e passar de uma convenção de 14 pagamentos para uma de 12 pagamentos", diz ainda Passos Coelho.

Sem condições para mais apoios sociais
O primeiro-ministro diz ainda que o país não tem condições para reforçar os apoios sociais. “Não há dinheiro para isso”, afirma. Quanto a diminuição de gastos que possam resultar da renegociação das parcerias público-privadas, espera que venha a conseguir poupar, mas refere que esse dinheiro será usado para “aliviar a pressão” sobre os futuros orçamentos.

O chefe do Governo reafirma que não vai rever a estimativa de desemprego para este ano, porque acredita que o segundo semestre “vai correr melhor” e, em 2013,  considera que vai haver recuperação económica que permita a Portugal regressar aos mercados.

Em princípio, será a Irlanda a regressar "primeiro aos mercados" e Passos admite serem necessárias “pontes” que ajudem ambos os países nesse regresso. Ainda assim, acrescenta que não foi do Governo que partiu qualquer pedido ou informação nesse sentido.

[artigo corrigido às 19h55]

PARTILHAR

Comentários (344)
  • » Brigas, Braga, 01-05-2012 11:21

    Só chantagem! Acabem com o embuste, só betinhos de trazer por casa!!!
  • » António Abreu, Maputo, 30-04-2012 22:59

    Sr Primeiro Mentiroso "...porque dificilmente o Estado conseguiria encaixar num ano a reposição de todos esse benefício...", não se trata da reposição de um benefício mas o final de um ROUBO, de que o sr é o mentor, apesar das suas falinhas mansas e falsas promessas - MENTIROSO HIPÓCRITA. Por causa de si e do CRIMINOSO que o precedeu e de toda a ESCUMALHA que vegeta, perdão, que ENRIQUEÇE à vossa volta é que tantos Portugueses estão desempregados e sem esperança e tantos outros tivemos que deixar famílias e partir mundo fora à procura daquilo que VOÇÊS NOS ROUBARAM - UMA PERSPECTIVA DE FUTURO E UM PRESENTE CONDÍGNO. A classe política portuguesa não passa, salvo raríssimas excepções, de uma cambada de oportunistas, vigaristas, criminosos, que em qualquer país em que a justiça não estivesse igualmente corrompida, estariam todos presos. BANDALHOS. Hoje li, que o sr. Armando Vara é o (in)digníssimo representante de um grande grupo económico em Moçambique. A quantidade de escumalha política portuguesa que se vê nos grandes restaurantes de Maputo é vergonhosa.
  • » Cleptocracia, Almada, 29-04-2012 23:41

    Estes betinhos mimados que nunca fizeram qulquer coisa de util á sociedade vem dizer, depois de terem roubado os subsidios dos pensionistas, que estes serão repostos em 2015. Digam ao menos e por uma vez a verdade. A intenção é mesmo retirá-los para sempre. Mas para alguns amigalhaços estes vão -se manter ad-etenum e até vão aumentar. Para o bando do BPN é sempre a mamar. Bandidos.
  • » para enterra Paraiso, Lisboa, 29-04-2012 11:36

    Caro, voce confunde salario anual com pagamento de salario. O valor base anual que um trabalhador recebia era igual ao valor anual de 14 meses de salario base. E recebia este valor 12 vezes num ano nas quais havia 2 vezes em que recebia a dobrar. O Governo ao retirar dois dos pagamentos dos catorze devidos abaixa o salario anual num valor de 8,3%. Quanto ao haver paises que o salario anual em 12 vezes ou 13 vezes ou 14 vezes isso é irrevelante. O valor anual é que conta. O Primeiro Ministro passos coelho tem a esperteza do saloio. Quando ele diz que lá para 2015 começa a recolocar os subsidos de Natal e Ferias não diz é que o faz por causa das eleições de 2015. O calendário eleitoral é que conta. depois em antes de Dezembro de 2015 tira tudo outra vez.
  • » Rosa, Cascais, 29-04-2012 10:39

    GATUNO, BANDIDO, TRAFULHA, NUNCA TRABALHAS-TE NA VIDA, SEU PARASITA DA SOCIEDADE!
  • PUB
  • » SOUSA, LISBOA, 28-04-2012 18:56

    LADROES E MENTIROSOS SÃO VICIADOS POR NATUREZA LOGO NÃO HÁ QUE ACREDITAR NESTES ALDRABÕES.
  • » costa, lisboa, 25-04-2012 17:58

    se acabassem com os beneficios das empresas comprarem carros ligeiros de passageiros para a familia nos meses de dezembro e que com essas aquisiçoes nao apresentam lucros logo ai o estado fica prejudicado. conheço algumas firmas que despediram empregados e no mesmo ano compraram 2 carros de alta cilindrada no valor de cerca de 300 000€ e os que tinham relativamente novos deram aos filhos para irem para a faculdade
  • » Anti-Mentirosos, Loures, 21-04-2012 10:33

    Aquele que diz que é PM de Portugal, será verdade, com tanta mentira que tem dito, (até a criancinhas, lembram-se da célebre rábula do SN/SF? nem vale a pena enumerá-las, pois o espaço para a escrita não chegava) é difícil discernir onde está uma e outra. Mas, vamos ao que leva a desabafar, então o dito PM, diz que os SNF, talvez (este talvez na boca do PM é para a eternidade) sejam repostos gradualmente, porque é, que não os retirou gradualmente? Explique porquê, mas bem, não, é melhor estar calado, porque de certeza aparecerá uma verdade? uma mentira? Uma meia verdade? Uma meia mentira?, Por amor de DEUS, Sr. PM é melhor estar calado, poupe-nos ao menos ao desléxico discurso. Será Verdade? Se não existisse Sócrates e a Troika, estes meninos da Troika existiam? O leit Motiv da sua existência: é Sócrates, exigências da Troika, e agora, e só agora... as condições e conjuntura externa. O que mais nos irá acontecer? Como diria o nosso saudoso Raul Solnado.. façam por ser felizes.
  • » enterra, Paraíso, 12-04-2012 23:04

    Eu trabalhei quase 40 anos no estranjeiro e lá nunca recebi subsidios de férias e do Natal. Tinha apenas direito ao 13º. mês de salário.Agora que estou reformado, também só recebo os 12 meses do ano e nada mais. Os salários lá fora são outros? Pois são, mas se os daqui fossem iguais aos de lá fora, não deixariam por isso, de receber todos esses subsidios.Os chamados direito adquiridos manter-se-iam.
  • » Jorge Ferreira, mortagua, 09-04-2012 0:24

    Tem que dar é o 15º e o 16º , a economia portuguesa aguenta, quem não aguenta é a economia da Alemanha, tanto é verdade que eles não tem 14º, e se não tem é porque não podem ter.
  • PUB

Deixe aqui o seu comentário relativo a este artigo. Todos os comentários estão sujeitos a mediação.

Tem 1500 caracteres disponíveis

Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.


Entrar Renascença V+
Casos mediáticos não afectam imagem de Portugal lá fora, diz Cavaco



INFORMAÇÃO      BOLA BRANCA      PROGRAMAÇÃO      MÚSICA      MULTIMÉDIA      OPINIÃO