O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.

As condecorações do 10 de Junho

09 jun, 2014

Entre os distinguidos com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique está, a título póstumo, o economista António Borges.
As condecorações do 10 de Junho

São 37 as condecorações que o Presidente da República vai entregar neste 10 de Junho, na Guarda.

Entre os distinguidos com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique está, a título póstumo, o economista António Borges. Mas também o antigo reitor da Universidade Católica, Braga da Cruz, ou o ex-presidente da PT, Miguel Horta e Costa, vão receber a distinção.

O ensaísta Eduardo Lourenço vai receber a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade. A jornalista Maria João Avillez, o compositor Rodrigo Leão, o antigo presidente do Instituto do Património Cultural, António Lamas, e ao presidente da Câmara da Guarda e anfitrião das comemorações do 10 de Junho este ano – Álvaro Amaro – vão ser agraciados com o título de Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique.

O antigo comissário europeu António Vitorino e o presidente do Tribunal de Contas Europeu, Vitor Caldeira, vão receber a Grã Cruz da Ordem Militar de Cristo.

O escritor Mário Carvalho vai ser condecorado como Grande Oficial da Ordem de Sant’Iago e Espada, os investigadores Rui Reis, da Universidade do Minho, e Rui Costa, da Fundação Champalimaud serão agraciados como comendadores e o escultor Rui Chafes como Oficial da mesma Ordem.

O antigo reitor da Universidade de Évora Jorge Araújo ou o banqueiro português Horta Osório estão também na lista de condecorados por Cavaco Silva no Dia de Portugal. O mesmo acontece com António Melo Pires, director da Autoeuropa, e Zeinal Bava, da PT.

Da lista constam também o ilusionista Luís de Matos e a cantora lírica Cristina Castro, a título póstumo. Seis autarcas vão receber a Ordem de Mérito.