|

Marques Mendes critica PSD. Referendo à co-adopção foi "golpada política"

18 jan, 2014

"PSD teve uma atitude absolutamente lastimável", acusa o antigo líder do partido, Marques Mendes.

Marques Mendes critica PSD. Referendo à co-adopção foi "golpada política"

Marques Mendes critica o PSD e a proposta de referendo à co-adopção de crianças por pares de homossexuais, dizendo mesmo que se trata de uma “golpada política”.

O ex-líder social-democrata, no espaço de comentário de sábado na SIC, fala numa atitude lastimável de um partido que mostrou falta de princípios.

“Acho que o PSD teve uma atitude em todo este processo absolutamente lastimável, porque esta questão de defender o referendo não foi nem por uma questão de princípio nem de convicção. Nada disso. Foi uma golpada política. Esta matéria, em teoria, é referendável, desde que se invoque no início é uma questão de princípio, feito desta maneira, a meio do processo, para corrigir um erro, para tentar recuperar uma derrota, a isto chama-se um partido que se comporta sem princípios.”

O referendo ainda tem que passar pelo crivo do Tribunal Constitucional e do Presidente da República. Marques Mendes diz ainda acreditar que Cavaco Silva vai travar o processo.

“Se o Presidente Cavaco Silva convocar este referendo é a mesma coisa que estar a suicidar-se na praça pública”, avisa o comentador político.

“Eu acho que isto não são condições normais. Em primeiro lugar, num momento me que os portugueses estão com os cortes nas pensões, nos salários, com o desemprego, a prioridade é um referendo sobre a co-adopção? Isto é de gente que não pensa bem. Segundo ponto, um referendo destes nesta altura, que não é uma prioridade do país, para ter 10%, 15% ou 20% de participantes? O Presidente da República tem de olhar a isto”, sublinha Marques Mendes.
 
A proposta de referendo à adopção e co-adopção de crianças por pessoas do mesmo sexo foi aprovado na sexta-feira, apenas com os votos do PSD. O parceiro de coligação, CDS, absteve-se e a oposição votou contra.