Maioria chumbou mas PCP insiste na comissão sobre os estaleiros de Viana

10 jan, 2014

Para serem bem-sucedidos na intenção de avançar para uma comissão de inquérito, os comunistas necessitam de um quinto (46) dos 230 mandatos.

O PCP revelou que já iniciou os contactos com os restantes partidos da oposição para recolher as assinaturas necessárias para um pedido potestativo de criação de inquérito parlamentar sobre os Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC).

A posição comunista, expressa aos jornalistas pelo deputado António Filipe, surge depois de a maioria parlamentar PSD/CDS-PP ter chumbado a proposta do PCP de criação de uma comissão parlamentar de inquérito sobre o assunto.

"Acabámos de formalizar esta proposta, de comunicar aos grupos parlamentares a nossa intenção. Ficamos a aguardar a posição dos restantes grupos", declarou o parlamentar.

A proposta de inquérito teve os votos contra de PSD e CDS-PP e "luz verde" de PCP, PS, Bloco de Esquerda e "Os Verdes", com quatro deputados do PS - Isabel Moreira, Marcos Perestrello, Miranda Calha e Ana Catarina Mendes - a absterem-se.

Para serem bem-sucedidos na intenção de avançar para uma comissão de inquérito, os comunistas necessitam de um quinto (46) dos 230 mandatos.

Aos seus 14 parlamentares, aos oito bloquistas e aos dois ecologistas é necessário que se juntem 22 dos 74 deputados socialistas.

Pela subconcessão dos terrenos e infra-estruturas dos estaleiros até 2031 a nova empresa West Sea, criada pelo grupo Martifer, pagará ao Estado uma renda anual de 415 mil euros, até Março de 2031, ou seja sete milhões de euros. No entanto, o Estado assume a conta de 30 milhões de euros de indemnizações a pagar aos cerca de 600 trabalhadores da empresa.


[notícia corrigida às 19h30]