Governo não está a "preparar um segundo resgate"

05 abr, 2013

No debate quinzenal na Assembleia da República, o primeiro-ministro assegura que a dívida pública vai começar a descer a partir de 2014.
O primeiro-ministro afirmou que o seu Governo "parou a explosão da dívida" portuguesa e "não está a preparar um segundo resgate”, acusando o Bloco de Esquerda ter esse desejo. 

Passos Coelho deixou esta garantia no Parlamento, durante o debate quinzenal, depois de o coordenador do BE, João Semedo, ter sustentado que "continuando a sua política" o Governo levará Portugal a pedir um segundo resgate financeiro às instituições internacionais.

O chefe do Governo ripostou que o aumento substancial da dívida ocorreu entre 2005 e 2011, de 94 mil milhões de euros para 184 mil milhões, e que foi o executivo PSD/CDS que conseguiu "parar a forma como a dívida estava a explodir".

"Foi este Governo que parou a explosão da dívida, Portugal deverá começar a descer o rácio da dívida no PIB a partir de 2014", alcançando uma trajectória "sustentada" que "não obrigará a um segundo resgate", reforçou Passos.

Mais à frente, Passos Coelho sublinhou que "o Governo não está a preparar segundo resgate coisa nenhuma" e que nem a acção do Governo "contribuirá para tal".

"Mas sabemos que esse é o desejo do BE, que insiste sempre na necessidade de não cumprir, de modo a não pagar a dívida", acrescentou.