Morreu Hugo Chavez

05 mar, 2013

"É um momento de dor profunda", afirmou o vice-presidente venezuelano Nicolas Maduro, numa declaração televisiva ao país.
Morreu Hugo Chavez
Morreu Hugo Chavez
Hugo Chávez pareceu pela primeira vez em público para reconhecer o fracasso de um golpe de Estado. Ironicamente, foi esse o momento que o catapultou para um imbatível percurso eleitoral. Notável líder de massas da esquerda latina, o personagem político que se construiu daí em diante foi por muitos visto como uma mistura de Elicer Gaitán, líder liberal da Colombia, com Fidel Castro e elementos de Mahatma Gandhi.
Morreu o Presidente da Venezuela Hugo Chavez, anunciou esta terça-feira o vice-presidente Nicolas Maduro. Hugo Chavez perdeu a batalha contra o cancro depois de quatro operações. Tinha 58 anos, 14 dos quais à frente dos destinos da Venezuela. Tinha sido reeleito em Outubro do ano passado, mas não chegou a tomar posse.

O estado de saúde tinha-se agravado nos últimos dias com uma infecção grave nos pulmões que piorou a luta contra o cancro. "É um momento de dor profunda", declarou esta terça-feira o vice-presidente Nicolas Maduro, com a voz embargada pela emoção, num discurso televisivo onde esteve acompanhado pelos principais ministros do governo venezuelano.

“"ueridos compatriotas. Muita coragem, muita força, muita resistência. Teremos de crescer por cima desta dor e desta dificuldade. Teremos de nos unir mais que nunca na maior disciplina, na maior colaboração, na maior fraternidade. Vamos crescer, vamos ser dignos herdeiros e filhos de um homem gigante como foi e continuará a ser o presidente Hugo Chavez. Que não haja fraquezas, que não haja violência nem ódio", disse Maduro.

Da prisão ao anti-americanismo
A vida política de Chavez começou em Fevereiro de 1992. O então tenente-coronel, à frente de 300 outros militares, protagonizou um golpe de estado contra o então presidente Carlos Andrez Perez. O golpe falhou, foi para a prisão, mas ganhou grande protagonismo político no país.

O agravamento da crise social e o crescente descrédito nas instituições políticas tradicionais da Venezuela favoreceram Chavez. Um país com altas taxas de corrupção facilitou o discurso e o programa político de Hugo Chavez.

Chegado ao poder, implementou políticas de apoio aos mais pobres, o que lhe fez subir a popularidade. Fundindo vários partidos de esquerda, Chavez centralizou o poder e passou a contralar a Assembleia Nacional, o Tribunal Supremo de Justiça, o Banco Central da Venezuela e toda a indústria petrolífera.

A nível internacional, Hugo Chavez promoveu o anti-americanismo e o anti-capitalismo e defendeu a cooperação entre as nações pobres da América Latina e o apoio financeiro a países aliados, como por exemplo o Irão, o Iraque, a Síria e outros inimigos dos Estados Unidos. 

CRONOLOGIA DA SITUAÇÃO CLÍNICA DE CHAVEZ
30 de Junho de 2011: Hugo Chávez faz uma declaração de Cuba onde confirma a primeira operação a um cancro.

7 de Julho de 2011: Chávez volta a Cuba para iniciar quimioterapia.

22 de Setembro de 2011: Termina o ciclo de quimioterapia.

20 de Outubro de 2011: Chávez realiza novos exames e os médicos confirmam que está completamente curado.

21 de Fevereiro de 2012: Chávez confirma que vai realizar nova operação depois de ter sido encontrada uma lesão na mesma área do tumor inicial.

28 de Fevereiro de 2012: Nova cirurgia em Cuba.

4 de Março de 2012: Chávez realiza tratamento de radiações em Cuba.

25 de Março de 2012: Chávez regressa a Havana para nova terapia de radiações.

14 de Abril de 2012: Chávez regressa a Cuba para mais um ciclo de tratamentos de radiação. Falha a cimeira das Américas na Colômbia.

7 de Outubro de 2012: Chávez é reeleito na presidência da Venezuela.

27 de Novembro de 2012: O Presidente venezuelano confirma que vai regressar a Cuba para tratamento, que inclui oxigenação hiperbárica.

8 de Dezembro de 2012: Chávez dá conta de que os médicos encontraram novas células malignas na zona pélvica e que será necessário realizar nova operação.

11 de Dezembro de 2012: Operação dura seis horas. No final, o Governo confirma que tudo correu “correctamente e com sucesso”.

12 de Dezembro de 2012: O vice-presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, diz que a cirurgia ao Presidente foi "complexa, dificil e delicada" e que o pós-operatório será "complexo e difícil".

15 de Fevereiro de 2013: O Governo publicou quatro fotos de Hugo Chávez no hospital.

18 de Fevereiro de 2013: Hugo Chávez regressa à Venezuela vindo de Cuba. É internado num hospital militar.

4 de Março de 2013: O Governo confirma que os problemas respiratórios do presidente Chavez agravaram-se e que tem uma nova infecção respiratória.

5 de Março de 2013: Morreu Hugo Chavez.