O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
Ouvir Emissão
Acabou de Tocar ROLLING STONES - ANGIE Acabou de Tocar

Últimas NotíciasPaísMundoPolíticaEconomiaReligiãoCulturaSaúde e CiênciaInfo A-ZEspeciaisPodcast

Rebeldes congoleses tomam cidade de Goma

Movimento armado M23 promete libertar o país, enquanto o Presidente Joseph Kabila admite ouvir as reivindicações dos rebeldes.
 
21-11-2012 20:28
Imprimir Enviar por E-mail Fonte Aumentar Letra Diminuir Letra

O grupo rebelde M23 capturou a importante cidade de Goma, uma capital de província com um milhão de habitantes, situada na parte Leste da República Democrática do Congo, junto à fronteira com o Ruanda.

As forças governamentais abandonaram a cidade na terça-feira, após violentos combates, e a força de paz das Nações Unidas não interveio.

“A jornada para libertar o Congo começou agora. Nós vamos avançar para Bukavu e depois para a capital Kinshasa”, declarou o porta-voz do movimento, num comício realizado esta quarta-feira, em Goma.

O Governo emitiu um comunicado onde admite ter perdido a batalha, mas onde promete ganhar a guerra. “A vitória será nossa. É isso que os congoleses querem”, refere a mensagem.

Os líderes de vários países daquela região de África já apelaram aos rebeldes do M23 para cessarem os combates e o seu avanço.

O Presidente da República Democrática do Congo, Joseph Kabila, admitiu esta quarta-feira ouvir as reivindicações dos rebeldes.

O movimento M23 acusa Kabila de não lhes garantir os lugares nas Forças Armadas previstos no acordo de paz que pôs fim à revolta de 2009.

A rebelião em curso também é o espelho tensões étnicas locais, que se misturam com os interesses do vizinho Ruanda na exploração dos recursos minerais do Congo.

PARTILHAR

  • PUB

Deixe aqui o seu comentário relativo a este artigo. Todos os comentários estão sujeitos a mediação.

Tem 1500 caracteres disponíveis

Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.


Entrar Renascença V+
João XXIII, o "santão" que abriu a Igreja ao mundo



INFORMAÇÃO      BOLA BRANCA      PROGRAMAÇÃO      MÚSICA      MULTIMÉDIA      OPINIÃO