Terramoto faz milhares de mortos no Nepal e deixa alpinistas presos no Evereste

25 abr, 2015

O balanço das vítimas mortais está nos 1.341. Muitos edifícios colapsaram e foi desencadeada uma avalanche no Monte Evereste.  É já considerado o pior terramoto no país em 80 anos.
Terramoto faz milhares de mortos no Nepal e deixa alpinistas presos no Evereste
Terramoto faz milhares de mortos no Nepal e deixa alpinistas presos no Evereste
São mais de mil as vítimas mortais do terramoto de magnitude 7.9 na escala de Richter, que abalou a parte Oeste da antiga capital nepalesa Kathmandu, no Nepal. Desde logo as autoridades avisaram que o balanço de vítimas mortais deveria ser grande, tendo em conta a quantidade de edifícios que não resistiram ao forte abalo.
Um tremor de terra de magnitude 7.9 na escala de Richter abalou a parte Oeste da antiga capital nepalesa Kathmandu. Vários edifícios desabaram e o número de mortos, que começou nos quatro, já chegou aos 1.341 a que se juntam mais de 1700 feridos, segundo um porta-voz da polícia.

Desde logo as autoridades avisaram que o balanço de vítimas mortais deveria ser grande, tendo em conta a quantidade de edifícios que não resistiram ao forte abalo, que é já considerado o pior em 80 anos registado no país.

O sismo teve epicentro a 200 quilómetros da cidade. Em Kathmandu vive um milhão de pessoas. Foi também sentido em várias cidades da Índia, sobretudo, em Nova Deli, e no Bangladesh, onde também há registo de mortos.

Na capital nepalesa, os edifícios são velhos e degradados. Uma torre histórica construída no século XIX desabou e deixou presas 50 pessoas, pelo menos. Um corpo foi retirado do local. Há 10 anos que a Torre Dharara, construída em 1832, está aberta ao público e serve, no seu oitavo andar, de miradouro.

O terramoto fez também desencadear uma avalanche no Evereste e provocou, pelo menos, 10 mortos. Abril é dos meses mais populares entre os alpinistas para subir ao cume da maior montanha do mundo. A rede social Twitter foi a escolhida para dar conta da situação que muitos viveram na sequência do sismo.

O romeno Alex Gavan escreveu: “Grande avalanche”. “Muita muita gente aqui em cima”. E acrescentou depois: “Tento agora salvar-me e corro pela vida a partir da minha tenda”. “Grande terramoto e grande avalanche no campo de base do Evereste”:

Um outro alpinista, Daniel Mazur, adiantava que o campo foi “gravemente destruído” e que a sua equipa estava presa. “Por favor, rezem por toda a gente”.

Em Abril de 2014, uma avalanche junto ao campo de base do Monte Evereste matou 16 guias nepaleses.

Em 1934, um terramoto de magnitude de 8.3 numa zona pobre da região himalaia matou mais de 8.500 pessoas.

O Nepal emergiu, em 2006, de uma guerra civil lançada pelos rebeldes maoístas contra o poder. Morreram 17 mil pessoas. Em 2008, foi abolida a monarquia e os maoístas largaram as armas.


[Notícia em constante actualização, face ao crescente número de vítimas mortais]