|

Curdos aproximam-se da “capital” do Estado Islâmico

14 abr, 2015

Presença dos Peshmerga nas proximidades de Raqqa poderá indicar uma diminuição na capacidade militar dos jihadistas, depois de vários meses de ataques aéreos e uma ofensiva terrestre no Iraque.

Curdos aproximam-se da “capital” do Estado Islâmico
Forças curdas tomaram várias aldeias e uma grande fábrica de cimento a apenas 50 quilómetros de Raqqa, que funciona como capital do autoproclamado Estado Islâmico, na Síria.

A informação foi divulgada pelos próprios curdos e confirmada pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos, sedeado em Londres.

Os peshmerga, como são conhecidos os militares curdos, têm feito grandes avanços desde que conseguiram recuperar a cidade de Kobani, na fronteira da Síria com a Turquia, com o apoio de ataques aéreos da coligação internacional que tem actuado contra o Estado Islâmico.

A presença dos curdos no distrito de Raqqa, a tão curta distância da cidade que funciona como capital dos jihadistas, representa um importante avanço na guerra contra o grupo e poderá indicar perda de capacidade de resposta militar do Estado Islâmico, que continua a ocupar uma área grande, tanto da Síria como do Iraque, mas tem sido duramente atingido pelos ataques aéreos e tem visto também o número de recrutas a diminuir com o aumento das medidas de segurança na Turquia.

Os revezes militares no Iraque, onde uma coligação de militares do Governo e milícias xiitas, curdas e cristãs tem empurrado o Estado Islâmico para fora de cidades importantes, como Tikrit, também está a contribuir para a perda de homens e recursos militares por parte do grupo.