O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|

Técnicos da Lufthansa verificaram na véspera avião que caiu nos Alpes franceses

24 mar, 2015

Airbus A320 perdeu o contacto com o controlo de tráfego aéreo quando estava a cerca de 6.000 pés de altitude. Não há sobreviventes, iam 150 pessoas a bordo.
A companhia aérea garante que vai fazer tudo o que é possível para apurar as causas da queda do aparelho. O presidente da Germanwings precisou que a bordo do Airbus A320 da companhia que se despenhou esta terça-feira nos Alpes franceses seguiam 150 pessoas e garantiu que “tudo será feito para apurar as causas da queda do aparelho”, expressando as suas condolências aos familiares das vítimas.

A companhia aérea alemã Germanwings afirma que o Airbus A320, que se despenhou esta terça-feira nos Alpes franceses, esteve em revisão de rotina na segunda-feira, que foi feita pelos técnicos da Lufthansa. Não há sobreviventes, é a "maior catástrofe aérea" em França desde a II Guerra Mundial.

“O avião perdeu o contacto com os controladores aéreos franceses e desapareceu dos radares às 10h53, quando seguia a uma altitude de 6.000 mil pés. Depois despenhou-se”, descreveu o director executivo da Germanwings, Thomas Winkelmann, em conferência de imprensa em Colónia, Alemanha.

Nas mesmas declarações revelou que o aparelho esteve em "queda íngreme" durante oito minutos. A direcção-geral da Aviação Civil francesa revelou, entretanto, que o avião não emitiu qualquer pedido de socorro. O alerta foi dado pelo controlador quando perdeu o contacto rádio e se apercebeu na descida abrupta.

A Germanwings informou ainda que o piloto já voava com a empresa há dez anos, acrescentando que está a fazer tudo para apurar as causas do acidente o mais rápido possível.

A empresa informou ainda que estavam dois bébes a bordo e expressou “profundas condolências” aos familiares das vítimas.

A companhia acredita que estavam a bordo 67 alemães. Também as autoridades de Madrid já tinham revelado que seguiam nesta viagem 45 pessoas com apelidos espanhóis.

 

Fonte: Airbus

Uma fonte oficial da cidade alemã de Haltern am See disse à agência Reuters que a bordo podiam viajar 16 crianças e dois professores desta localidade, mas esta informação ainda não foi confirmada.

Uma equipa, com técnicos da Lufthansa, da Airbus e da Germanwings, está a caminho do local do desastre.

O voo 4U9525, que fazia a ligação entre Barcelona (Espanha) e Düsseldorf (Alemanha), tinha a bordo 144 passageiros e seis tripulantes e despenhou-se sobre os Alpes franceses. Não há notícia de sobreviventes.

Segundo um polícia francês, as operações para resgatar as vítimas e recuperar os destroços podem demorar dias.