O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
Ouvir Emissão
Acabou de Tocar CULTURE CLUB - DO YOU REALLY WANT TO HURT ME Acabou de Tocar

Últimas NotíciasPaísMundoPolíticaEconomiaReligiãoCulturaSaúde e CiênciaInfo A-ZEspeciaisSínodoPodcast

Violência contra trabalhadores humanitários atinge valores recorde

Em 10 anos, os ataques a trabalhadores humanitários aumentaram 300%. Foto: Roman Pilipey/ EPA

Em 2013, morreram 155 funcionários de organizações humanitárias, a maior parte em ataques na estrada. Os ataques aumentaram 66 por cento, em relação a 2012, e 300 por cento, face a 2003.
19-08-2014 11:19
A violência e os ataques contra funcionários de organizações humanitárias atingiram um novo recorde em 2013. O ano passado morreram 155 destes trabalhadores, a maior parte na Síria e no Afeganistão.

“O aumento dos ataques em 2013 foi despoletado principalmente pelo escalar de conflitos e o deteriorar da governação na Síria e no Sudão do Sul. Estes dois países, mais o Afeganistão, Paquistão e Sudão, representam três quartos dos ataques”, são as conclusões do relatório de segurança dos trabalhadores humanitários para 2014, elaborado pelo centro de investigação "Humanitarian Outcomes".

Nos 251 ataques, 155 pessoas morreram, 171 ficaram gravemente feridas e 134 foram raptados.
 
A maioria das vítimas era funcionária de Organizações Não Governamentais (ONG) nacionais ou da Cruz Vermelha e trabalhavam “para implementar ajuda internacional nos seus próprios países”.

O relatório avança que a maior parte dos incidentes violentos acontece nas estradas, em contextos de emboscadas ou ataques à beira da estrada.

Em relação a 2012, os ataques aumentaram 66%. Em relação aos números de há 10 anos, em 2003, os ataques aumentaram quase 300%.
PARTILHAR

  • PUB

Deixe aqui o seu comentário relativo a este artigo. Todos os comentários estão sujeitos a mediação.

Tem 1500 caracteres disponíveis

Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.


Entrar Renascença V+
A infâmia segundo Sócrates



INFORMAÇÃO      BOLA BRANCA      PROGRAMAÇÃO      MÚSICA      MULTIMÉDIA      OPINIÃO