|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

União Europeia não reconhece o referendo separatista na Ucrânia

11 mai, 2014

Votação no referendo pró-russo ultrapassou os 80% em Lugansk e os 50% em Donetsk.

União Europeia não reconhece o referendo separatista na Ucrânia
A União Europeia não vai reconhecer os resultados dos "pretensos referendos" sobre a independência de Donetsk e Lugansk promovidos pelos separatistas russos.

De acordo com a porta-voz da chefe da diplomacia europeia, os "pretensos referendos foram ilegais" e por isso os resultados não vão ser reconhecidos.

Aqueles que organizaram a votação "não têm legitimidade democrática" e a "organização a que pertencem é contrária aos objectivos da declaração conjunta de Genebra que pretende atenuar a tensão", acrescentou Maja Kocijancic, a porta-voz de Catherine Ashton.

A votação no referendo pró-russo ultrapassou os 80% em Lugansk e os 50% em Donetsk, divulgaram este domingo os activistas pró-russos das duas regiões do
sul da Ucrânia.

"Mais de 50% já votaram na região de Donetsk. Recebemos os dados do distrito Krasnolimanski: ali a participação superou os 70%", disse aos jornalistas Román Liaguin, chefe da comissão eleitoral da autoproclamada República Popular de Donetsk.

Os votantes destas províncias de Donetsk e Lugansk, onde vivem 7,3 milhões de pessoas, de um total de 46 milhões de habitantes da Ucrânia, estão a ser questionados este domingo sobre se apoiam a criação de duas repúblicas independentes, o que é encarado por muitos como um passo antes de se juntarem à Rússia, como aconteceu com a Crimeia.

Kiev considerou o referendo para a "independência" no leste da Ucrânia uma "farsa criminosa" financiada pelo Kremlin, segundo um comunicado do ministério dos Negócios Estrangeiros ucraniano.

Os resultados são anunciados na segunda-feira, apesar de serem possíveis atrasos por causa dos conflitos na região, que causaram nos últimos dias dezenas de mortos e mais de uma centena de feridos.