|

"Entre 45 e 47 mortos" em descarrilamento de comboio em Espanha

24 jul, 2013

Desastre ferroviário aconteceu em Santiago de Compostela é o pior dos últimos 40 anos no país. Até ao momento, não há notícia de vítimas de nacionalidade portuguesa, disse à Renascença fonte do Governo.

"Entre 45 e 47 mortos" em descarrilamento de comboio em Espanha
"Entre 45 e 47 mortos" em descarrilamento de comboio em Espanha
Begoña Iñiguez fala com o jornalista José Pedro Frazão sobre o acidente desta noite em Santiago de Compostela. A jornalista, natural da Galiza mas actualmente a viver em Lisboa, fala com emoção do acidente que aconteceu numa zona que conhece bem. Um comboio que fazia a ligação entre Madrid e Ferrol descarrilou e pelo menos 45 pessoas morreram.
Há "entre 45 e 47 mortos" em resultado do descarrilamento de um comboio em Santiago de Compostela, no noroeste de Espanha, avançam o jornal "El Mundo" e a TV Galicia.
 
O presidente do governo regional da Galiza, Alberto Nunez Feijoo, em declarações à rádio Cadena Cope, revelou que as equipas de emergência já entraram em todas as carruagens que ficaram destruídas. Cerca de 70 pessoas ficaram feridas, mais de 50 em estado grave, adiantou.

O presidente do governo regional da Galiza diz que ainda é cedo para avançar as razões para este desastre ferroviário, que é já considerado o pior dos últimos 40 anos em Espanha.

O Ministério do Interior de Espanha descarta a hipótese de atentado, segundo a agência de notícias Efe.

A empresa responsável pelas infraestruturas ferroviárias de Espanha já ordenou a abertura de um inquérito para apurar as causas do descarrilamento em Santiago de Compostela.

Até ao momento, não há notícia de vítimas de nacionalidade portuguesa, disse à Renascença fonte do Governo. Portugal ofereceu ao Governo espanhol colaboração e apoio logístico.

O comboio de passageiros, que fazia a ligação entre Madrid e Ferrol, descarrilou pelas 20h41 locais (19h41 em Portugal Continental), numa zona de curva com velocidade controlada. 

A empresa ferroviária Renfe adianta, em comunicado, que a bordo do comboio seguiam 218 passageiros, mais os elementos da tripulação.

O desastre aconteceu na véspera da tradicional festa de Santiago de Compostela, procuradas por milhares de pessoas. As celebrações já foram canceladas por causa desta tragédia.

As primeiras imagens divulgadas pela imprensa espanhola mostram várias vítimas caídas na linha, bem como composições tombadas, bastante danificadas, e chamas numa das carruagens.

As equipas de emergência estão no local a tentar resgatar passageiros dos destroços do comboio.

Um morador junto ao local do descarrilamento disse à Radio Galega que ouviu “uma grande estrondo” e viu uma carruagem completamente destruída.

O Hospital de Santiago de Compostela pede a doacção de sangue para acudir ao grande número de vítimas que deram entrada naquela unidade de cuidados de saúde.

O presidente do governo de Espanha, Mariano Rajoy, vai esta quinta-feira a Santiago de Compostela prestar homenagem às vítimas. O primeiro-ministro reuniu-se esta noite de emergência com membros do executivo.

Rei de Espanha já falou por telefone com o presidente da junta da Galiza, para se inteirar da situação e para manifestar condolências e solidariedade para com os familiares das vítimas.