O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|

PSP tem indícios “muito fortes” após assalto à sede da FPF

10 fev, 2013

Foram roubados dois computadores da sede da Federação de Futebol: o do presidente Fernando Gomes e o da sua assistente.

A Polícia de Segurança Pública (PSP) diz que foram recolhidos vestígios "muito fortes" que vão ajudar as autoridades a chegar aos autores do assalto à sede da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), em Lisboa, ocorrido esta madrugada.

"Confirmamos o furto de dois computadores. No local foram recolhidos indícios muito fortes que vão ajudar a chegar aos responsáveis. A investigação e as diligências vão continuar a cargo da polícia", explicou fonte do Comando Metropolitano de Lisboa à Lusa.

Outra fonte policial ligada à investigação adiantou à Lusa que, na sede da FPF, foram encontrados um martelo que terá sido utilizado para partir os vidros, uma mochila e outro material, os quais foram abandonados no local após o assalto.

A mesma fonte acrescentou que o edifício tem câmaras de videovigilância, as quais terão gravado os acontecimentos, e que as imagens vão ser analisadas pelas autoridades.

A FPF considerou que o assalto à sua sede teve um "objectivo claro e muito específico", uma vez que apenas foram furtados os computadores do presidente Fernando Gomes e da sua assistente.

"Os assaltantes dirigiram-se directamente ao gabinete do presidente da FPF e limitaram-se a levar os computadores do dr. Fernando Gomes e da sua assistente. Não procuraram mais nada nem levaram quaisquer outros objectos de valor muito mais elevado do que os referidos computadores, indiciando que tinham um objectivo claro e muito específico", explicou a FPF, em comunicado.