Investigador diz que linha de Cascais tem sistema eléctrico "obsoleto"

08 fev, 2013

A CP anunciou a abertura de um inquérito aos descarrilamentos de carruagens de dois comboios na linha de Cascais, ocorridos esta manhã.
Investigador diz que linha de Cascais tem sistema eléctrico "obsoleto"
Investigador diz que linha de Cascais tem sistema eléctrico "obsoleto"
Está interrompida a circulação na Linha de Cascais, devido ao descarrilamento de dois comboios, segundo confirmou à Renascença fonte da REFER. Ao que tudo indica não há feridos. Um dos acidentes ocorreu no sentido Cascais/Lisboa na recta de Algés. Os passageiros estão a abandonar as carruagens e deslocam-se a pé, pela linha, até à estação. O outro aconteceu junto à curva do Mónaco, em Caxias.

Não se conhecem as causas do duplo descarrilamento desta sexta-feira na Linha de Cascais, mas há um dado a ter em conta: a linha tem características diferentes de todas as outras, com material que data do início do século passado.

Manuel Tão, investigador da Universidade do Algarve na área dos transportes, sublinha que o sistema de electrificação é obsoleto e há material circulante com 80 anos.

"A Linha de Cascais é um caso à parte dentro da rede. Tem características específicas, com um sistema de electrificação que em 1926 era pioneiro, foi-se mantendo até aos dias de hoje, mas é obsoleto", aponta o especialista.

"Por causa desse sistema de electrificação, a linha tem um material ferroviário impróprio que não é intercambiável com o resto da rede. Resultado: foi envelhecendo de forma isolada relativamente a todo o resto dos sistemas ferroviários. Há material circulante que tem 80 anos", refere ainda Manuel Tão, reputado investigador na área dos transportes, com particular conhecimento do sector ferroviário português.

Aberto inquérito
A CP anunciou a abertura de um inquérito aos descarrilamentos de carruagens de dois comboios na linha de Cascais, ocorridos esta manhã.

"É prematuro dar informações sobre as causas. Foi instaurado um inquérito para ambos os acidentes e só mediante as conclusões desse inquérito será possível estabelecer as causas, bem como a eventual relação entre os dois" casos, disse à Lusa fonte da CP.

A empresa não tem previsão temporal para a apresentação de conclusões deste inquérito.

Os descarrilamentos ocorreram no sentido Cascais/Lisboa, mas a linha está interrompida nos dois sentidos nos locais dos acidentes, um junto a
Algés e outro perto de Caxias.