O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.

Fusão das secretas volta a estar em cima da mesa

24 dez, 2012

Bacelar Gouveia critica o Governo por manter como secretário-geral dos Serviços de Informação da República, Júlio Pereira, nomeado por José Sócrates.
O director-geral do Serviço de Informações de Segurança defende em relatório a fusão daquele organismo com o Serviço de Informações Estratégicas de Defesa (SIED). De acordo com o “Diário de Notícias”, o documento, que recupera uma ideia do PSD, está já na posse do primeiro-ministro.

Bacelar Gouveia, que entre 2004 e 2008 presidiu ao Conselho de Fiscalização dos Sistemas de Informação da República, diz que a fusão só será desejável se não se optar por uma solução radical ou forte.

“Uma fusão fraca ou suave seria a ideia de, tendo um só serviço, haver uma ala interna e externa”, diz à Renascença.

A oposição socialista fez o Governo abandonar a ideia da fusão entre o SIS e o SIED. Bacelar Gouveia considera urgente clarificar a situação dos serviços de Informação da República, que continuam a ser dirigidos por alguém nomeado por confiança pessoal de José Sócrates.

“Por incrível que parece, o Dr. Júlio Pereira continua à frente dos serviços de informações como se fosse do PSD ou tivesse alguma coisa a ver com esta área política. Sendo certo que não se vê o fim do mandato à vista”, critica.