Ministro promete concurso extraordinário para professores contratados

25 set, 2012

Recebido com vaias em Ermesinde, onde foi chamado "gatuno", Nuno Crato disse compreender a insatisfação de professores não colocados.
Ministro promete concurso extraordinário para professores contratados

O ministro da Educação promete um concurso de vinculação extraordinário para professores contratados, ainda em 2013. Nuno Crato diz que o ministério está a estudar as necessidades das escolas e as condições dos professores.

“Não estão definidos critérios, neste momento estão a ser feitos estudos que têm sobretudo em vista duas coisas: quais as necessidades permanentes do sistema e, por outro lado, temos que ver a graduação dos professores, há quanto tempo estão no sistema. É de facto uma situação que nos preocupa haver professores serem ano após ano contratados e não terem uma posição definitiva”, explicou à margem da inauguração do novo centro escolar de Ermesinde, Valongo.

No seu discurso realizado na cerimónia de inauguração oficial da nova escola, o governante afirmou que os "professores são a peça fundamental do sistema educativo".

O ministro da Educação foi mais uma vez recebido com vaias por cerca de três dezenas de professores. Mas Nuno Crato diz compreender os protestos. "Eu compreendo que evidentemente há professores que não estão satisfeitos porque não conseguiram colocação, é um problema que humanamente eu sinto, mas nós estamos neste momento a trabalhar para que o sistema esteja organizado e apenas contratamos os professores que sejam estritamente necessários ao sistema", afirmou aos jornalistas.

O governante garantiu ainda que a formação de adultos vai ser retomada em breve em articulação com o Ministério da Economia e Emprego.

Assim que o ministro chegou ao local, os manifestantes, que foram colocados pela polícia a cerca de 50 metros da entrada da escola, apuparam Nuno Crato aos gritos de "gatuno, gatuno".