O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.

Reitor da Universidade do Porto defende silêncio para evitar "mais problemas"

23 mai, 2012

Confrontado com os números das desistências de alunos nacionais, que este ano foram 716, Marques dos Santos disse que o importante “é que esses números deixem de ser notícia”.
Reitor da Universidade do Porto defende silêncio para evitar "mais problemas"
O reitor da Universidade do Porto apela ao silêncio para "não criar mais problemas" e sublinha que as "coisas depressivas" não ajudam a construir o país.

José Carlos Marques dos Santos afirma também – em abono da sua tese do silêncio - que os “economistas fazem previsões catastróficas” que, depois, “não se confirmam”. Sugere, por isso, meio ano de silêncio numa “altura em que a psicologia é fundamental”.

O silêncio, na opinião do reitor da Universidade do Porto, impediria que se “criassem mais problemas” que os que já existem.

Marques dos Santos falava depois da sessão comemorativa dos 25 anos do programa Erasmus. Quando confrontado com os números das desistências de alunos nacionais, que este ano foram 716, disse que o importante “é que esses números deixem de ser notícia”.