|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

Sindicato dos Magistrados acusa Parlamento de falta de critério

03 mar, 2012

João Palma deixou vários alertas no final do congresso.

Sindicato dos Magistrados acusa Parlamento de falta de critério


O presidente do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público acusa a Assembleia da República de “falta de critério na escolha de representantes para cargos da área da justiça”.

João Palma reafirma que a justiça está em crise, acrescentando que para isso contribuem decisões e escolhas dos parlamentares. “A Assembleia da República pode contribuir para a credibilização da justiça ou para o seu contrário”, disse.

Algumas mudanças são também necessárias no seio do Ministério Público, algumas para ajudarem a delinear as características necessárias a um procurador: “Capacidade de decisão, coragem para decidir, independência, capacidade de resistência a ambientes hostis, valores testados numa postura de abertura à sociedade e não de isolamento. A independência como algo que tem que ser cultivado interiormente”.

Outras são precisas para melhorar o combate ao crime, acrescenta João Palma: “a organização interna do Ministério Público também requer novos impulsos, pois há muito tempo que nada se faz nem se avança nessa matéria. Outras áreas requerem atenção e outros modelos de organização, coordenação e liderança como a protecção do consumidor contra práticas abusivas, a violência doméstica, o urbanismo na vertente criminal e na defesa da legalidade e a protecção de menores, entre outras”.

João Palma, que será substituído no cargo por Rui Cardoso, terminou o congresso dos Magistrados do Ministério Público a apelar à mudança e a um Ministério Público mais democrático e de mérito.

Quanto ao esquema de nomeação do Procurador-Geral da República, João Palma defende uma alteração que passa por uma intervenção mais decisiva do Presidente da República, fora da luta partidária, e eventualmente uma participação do Conselho de Estado.