|

Ninguém passa cartão ao Estádio de Leiria

27 out, 2011 • Paula Costa Dias

Hasta pública foi inconsequente. Edifício continua a custar à autarquia 12.600 euros por dia, em amortizações e juros.

Ninguém passa cartão ao Estádio de Leiria

Estava marcada para hoje a venda em hasta pública do Estádio de Leiria, mas a acção não teve resultados. Um dos grupos económicos que tinha manifestado interesse – a Sociedade de Renovação Urbana Campo Pequeno – acabou por não concretizar nenhuma proposta.

O representante da sociedade, Manuel Jacinto, explica que recuaram ao constatar “a existência de uma providência cautelar”.

O documento foi interposto pelos deputados municipais social-democratas que estão contra a venda de todo o edifício, mas não têm nada contra a alienação do topo norte – o espaço pretendido pelo grupo económico.

O social-democrata José Benzinho garante que não se sentem culpados pela situação e que “teria sido muito simples para o senhor presidente da Câmara ter proposto a separação dos dois lotes e fazia duas hastas públicas”.

Raul Castro, presidente da Câmara de Leiria, garante que este é um sério revés que vai prejudicar o concelho. “A verdade é que os mais de cinco milhões de serviço da dívida, para amortização e juros, podiam ter melhor aplicação”, remata.