O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.

Junta de freguesia apoia petição contra invasão tuk tuk em Lisboa

18 ago, 2015 • Liliana Monteiro

Em declarações à Renascença, o socialista Miguel Coelho diz que todos os dias recebe muitas queixas dos  moradores de alguns bairros históricos da capital.
Junta de freguesia apoia petição contra invasão tuk tuk em Lisboa

O presidente da junta de freguesia de Santa Maria Maior apoia uma petição pública que defende a "limitação imediata" à circulação dos tuk tuk, os triciclos motorizados que nos últimos anos invadiram as ruas de Lisboa e que todos os dias transportam centenas de turistas.

Em declarações à Renascença, o socialista Miguel Coelho diz que todos os dias recebe muitas queixas dos  moradores de alguns bairros históricos da capital.

“Elas têm sido recorrentes, sobretudo das pessoas que moram no Castelo, em Alfama e na Mouraria, muito derivado do facto de serem bairros onde as ruas são muito estreitínhas, foram feitas no tempo em que nem sequer havia automóveis. São ruas com características pedonais, onde circulam muito mais pessoas do que meios motorizados e o aparecimento incontrolado deste tipo de veículos tem causado muito desconforto nas pessoas e até algumas situações de perigo para as pessoas.”

Em curso está uma petição pública para restringir a circulação destes veículos no interior dos bairros. A junta de freguesia de Santa Maria Maior, que abrange as zonas do Castelo, Alfama e Mouraria, apoia a medida. O documento já conta com mais de 600 assinaturas.

Os tuk tuk são uma actividade que funciona sem qualquer regulamento e isso preocupa Miguel Coelho. O autarca considera que está na hora de o presidente da Câmara de Lisboa emitir um despacho para agilizar esta questão, tendo em conta que o regulamento que está a ser elaborado pela autarquia tarda em sair.

“Ainda não tenho nenhuma indicação sobre o regulamento. Acho até que já está na altura de ele vir cá para fora, para debate público e para aprovação na assembleia municipal. Tenho a expectativa e sei que o senhor presidente da Câmara está preocupado com este assunto, que ele possa muito brevemente, por via de despacho, tomar já algumas medidas no que diz respeito à circulação. Isso poderá ajudar a resolver grande parte dos incómodos que esta actividade causa na população residente desta e de outras freguesias”, afirma o presidente da junta de Santa Maria Maior.

Miguel Coelho não tem dúvidas: há zonas de Lisboa em que os tuk tuk não podem entrar, como o núcleo histórico do bairro de Alfama, a partir da Rua dos Remédios e da Rua do Salvador, no Bairro do Castelo e em alguns percursos no interior da Mouraria.

A Renascença ouviu a opinião de vários condutores dos tuk tuk sobre estas queixas e pedidos de restrições. Defendem que “é normal” que haja regulação, mas também pedem bom senso por parte da Câmara. Sublinham que os triciclos levam muitas turistas aos bairros históricos e, com isso, estão a dinamizar o comércio e outros negócios locais.

Em Novembro do ano passado, a assembleia municipal de Lisboa aprovou uma recomendação para que a autarquia elaborasse com urgência um regulamento para esta actividade, mas nove meses depois o documento ainda não está concluído.