Viseu vai ter comboio. Falta decidir a linha

30 jun, 2015

"As opções passam por “uma ligação directa de Aveiro até Vilar Formoso, passando por Viseu, ou a melhoria da Linha da Beira Alta", explica o secretário de Estado dos Transportes.

O secretário dos Transportes, Sérgio Monteiro, garante que Viseu vai ter comboio. A questão é saber se a estação da cidade ficará numa linha entre Aveiro e Vilar Formoso ou integrada na linha da Beira Alta.

Numa intervenção  numa sessão na Câmara de Viseu, Sérgio Monteiro anunciou que a Comissão Europeia aprovou o estudo das duas alternativas.

As opções passam por “uma ligação directa de Aveiro até Vilar Formoso, passando por Viseu, ou a melhoria da Linha da Beira Alta com a remoção dos constrangimentos que existem”.

“Mas há uma coisa de que Viseu pode estar certo: num cenário ou noutro, a cidade fica servida por uma infra-estrutura que não tem hoje, que é a ligação de comboio”, assegura o secretário de Estado dos Transportes.

O trabalho de estudo vai continuar nos próximos meses e, segundo Sérgio Monteiro, é a garantia de que será encontrada "a melhor solução do ponto de vista de custo, cumprindo as regras comunitárias".

Segundo o Plano Estratégico de Transportes, daqui a cinco ou sete anos, a linha férrea vai passar por Viseu, cidade que hoje ainda não tem comboio.

Avião pode chegar antes do final do Verão
O secretário de Estado reiterou que o Governo apresentará para discussão pública, até ao final da legislatura, uma solução para a ligação entre Viseu e Coimbra.

Para já, sabe-se que o traçado "não vai coincidir com o do actual do IP3, será uma verdadeira alternativa", e que a via em perfil de auto-estrada terá de ser portajada.

"Encurtará em distância e em tempo a ligação de Viseu quer até Coimbra, quer até Lisboa, aproveitando as estradas que já tem, a capilaridade da rede. Vai ligar à A1, poderá fazer a ligação também à A13, ou seja, é uma via que serve bem a região, os propósitos de responsabilidade orçamental que o Governo tem tido", acrescentou.

Sérgio Monteiro disse também que "vai ser possível, ainda antes do final do Verão, que Viseu volte a ter uma ligação de avião que começa em Bragança, continua em Vila Real, para em Viseu, vai a Cascais e depois a Portimão".

Durante a sessão, foi apresentado o projecto de construção da variante à Estrada Nacional (EN) 229, entre o nó do ex-IP5 e o Parque Empresarial do Mundão, numa extensão de mais de quatro quilómetros.

Esta obra será acompanhada da beneficiação da EN 229, numa extensão de 10 quilómetros, entre o Parque do Mundão e o nó de Sátão, e também pela requalificação do troço do ex-IP5 no concelho de Viseu.

Almeida Henriques congratulou-se por, "de uma assentada", se resolverem vários problemas do concelho.

"Desencravámos o parque empresarial do Mundão, que sofre de sérios constrangimentos rodoviários, e criámos melhores condições para a sua futura expansão e para a atracção de investimento", frisou o autarca.

Por outro lado, é requalificada "uma via estruturante da conectividade económica regional que é o ex-IP5, numa extensão de 20 quilómetros", e são melhoradas "as difíceis condições dos movimentos pendulares diários entre os concelhos de Viseu e do Sátão", acrescentou.