Jovens com deficiência transportados pela Misericórdia do Porto

12 fev, 2015

Os trabalhadores da Segurança Social deixaram de fazer esse serviço.

Pelo menos 60 jovens com deficiência ficaram sem transporte depois de os trabalhadores da Segurança Social que faziam esse serviço terem sido colocados na requalificação.

O caso é revelado à Renascença pela Santa Casa da Misericórdia do Porto, instituição à qual pertencem os centros que estes jovens frequentam.

O provedor da Santa Casa da Misericórdia do Porto, António Tavares, revela que a Santa Casa vai usar os próprios meios para transportar as crianças a partir de segunda-feira.

"Os jovens que ficaram sem transporte na sequência da passagem dos colaboradores da Segurança Social que estavam com essas funções para a requalificação e a Santa Casa da Misericórdia imediatamente desencadeou um processo de maneira a que na segunda-feira, com meios nossos, vamos assumir o transporte desses jovens para os nossos centros", disse.

António Tavares confirma que já pediu esclarecimentos à Segurança Social, que afirma apenas que não pode assegurar o transporte dos jovens. O provedor diz que vai tentar resolver definitivamente o problema.