O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|

Passos Coelho: aumento de impostos "não está em cima da mesa"

24 ago, 2014

O primeiro-ministro não exclui a hipótese de avançar com a medida em 2015. “Se o fizermos é porque não há outra possibilidade de atingir as nossas metas”.
Passos Coelho diz que o Governo não está a discutir um aumento de impostos para este ano.

“Não está em cima da mesa, em sede de orçamento rectificativo, matéria de natureza fiscal”, disse o primeiro-ministro em Valpaços, na primeira iniciativa pública após férias.

“Saber o que vai acontecer em 2015, no orçamento para 2015, para fazer face às decisões que o Tribunal Constitucional adoptou em matéria de sustentabilidade da segurança social é uma discussão que ainda não tomámos”, acrescentou.

Pedro Passos Coelho referiu ainda que a aplicação deste aumento vai depender da conjuntura económica futura, não excluindo a hipótese de avançar com a medida mais tarde. “Se o fizermos é porque não há outra possibilidade de atingir as nossas metas”, justificou.

“Era muito fácil dizer que não há aumentos de quaisquer impostos. Mas eu não sei se isso é possível ou não. O Governo não tem nenhuma vontade de os aumentar. Não há nenhum governo que goste de aumentar impostos. E este, em particular, não gosta mesmo”.

Informação privilegiada
O primeiro-ministro mostrou algum mau estar com a indicação dada por Marques Mendes de que o Governo está a ponderar subir o IVA para 24%, e disse que, não havendo declaração de nenhum membro do Governo nesse sentido, a a hipótese levantada pelo comentador passa de especulação.

“Não sei que informação privilegiada é que possa existir por parte do Sr. Dr. Marques Mendes. O que lhe posso dizer é que não está nesta altura em discussão, em sede do orçamento rectificativo, a discussão em torno dos impostos”, referiu.

Durante o seu discurso em Valpaços, Passos Coelho destacou a importância de dar continuidade à reforma do Estado, que deve continuar a ser “uma prioridade muito grande” do próximo Governo.

“O tempo que temos até às eleições tem de ser bem aproveitado prosseguir esta senda de reforma do Estado, que o país bem precisa, outra coisa é saber se num ano se resolvem todos estes problemas, e isso com certeza que não”, admitiu.

Em Valpaços, o chefe de Governo vai inaugurar este domingo a Casa do Vinho e a Loja Interactiva de Turismo.