"Capital do granito" apresenta manifesto em defesa da “pedra rainha”

31 jul, 2014 • Olímpia Mairos

O manifesto exige do Governo a criação de condições para tornar o sector mais competitivo. O documento é apresentado na Feira do Granito, em Vila Pouca de Aguiar, onde mais de metade da economia da região assenta na “pedra rainha”.
"Capital do granito" apresenta manifesto em defesa da “pedra rainha”
Associações, núcleos empresariais e autarquias estão a preparar um manifesto em defesa do sector do granito, em que reivindicam do Governo gasóleo e electricidade bonificados, a revisão da lei dos explosivos, a eliminação das cauções impostas para abrir ou ampliar negócios e o fim das portagens nas Scuts. 

De acordo com o presidente da Associação dos Industriais do Granito (AIGRA), Domingos Ribeiro, o documento intitulado “Problemas, constrangimentos e necessidades do sector dos granitos” retrata “necessidades que o sector do granito quer que sejam pensadas e revistas”, para tornar o sector mais competitivo.

Os subscritores desta iniciativa, que vai ser apresentada no decorrer da Feira do Granito, em Vila Pouca de Aguiar, alertam para a urgência de as reivindicações serem atendidas pela tutela, sob pena de o sector “asfixiar por falta de competitividade, perante outros mercados internacionais”.

O granito é a principal fonte de emprego do concelho, abrangendo 4.350 pessoas, de forma directa e indirecta, e representou, em 2012, cerca de 150 milhões de euros de volume de negócio.

Na “capital do granito”, são extraídos os granitos Amarelo Real, Pedras Salgadas e Cinza Telões, todos certificados pelo Instituto Geológico Mineiro (IGM).

Feira 
Para potenciar o sector que emprega um terço da população do concelho, a autarquia e a AIGRApromovem, de sexta-feira a domingo, a Feira do Granito.

“O objectivo da feira é potencializar o granito que tem uma importância enorme na socio-economia local”, afirma o presidente da Câmara de Vila Pouca de Aguiar, Alberto Machado, salientando que o evento visa ainda “facilitar oportunidades de negócio e a conquista de novos mercados”.

Portugal continua a ser o principal mercado de granito, que é também vendido para outros países da Europa (Alemanha, França e Inglaterra), o Brasil e África.

Cerca de 155 expositores vão marcar presença no certame que, além do granito e dos produtos regionais, oferece diversas iniciativas lúdicas e culturais.

Será ainda assinado um protocolo de colaboração entre o município e a Câmara de Comércio e Indústria Luso-Luxemburguesa.

Homenagem à “pedra rainha”
Como manda a tradição, os populares das freguesias do concelho de Vila Pouca de Aguiar vão unir forças para o chamado “Arrastão da Grande Pedra”.

Segundo a organização, o “arrastão” de 15 toneladas de pedra de granito é um “regressar às origens e pretende homenagear a pedra rainha da região - o granito - e destacar a força e a determinação das gentes do interior”.

Antigamente, antes de se recorrer à ajuda dos animais, era com a força dos braços do homem que se transportavam as pedras para a construção de casas ou monumentos.

A rocha já está em exposição junto à Estrada Nacional nº 2, perto do pavilhão gimnodesportivo, e será arrastada “por cerca de 700 pessoas” até ao local onde decorre a Feira.