Governo "tranquilo" apesar da queda de 0,7% do PIB

15 mai, 2014

Números divulgados pelo INE apontam para uma "redução das exportações de bens e serviços", apesar do contributo mais positivo da procura interna.
Governo "tranquilo" apesar da queda de 0,7% do PIB
Governo "tranquilo" apesar da queda de 0,7% do PIB
O ministro da Presidência, Marques Guedes, revela que o Governo vê com "tranquilidade" a queda de 0,7% do PIB no primeiro trimestre, face ao anterior, porque se deve a factores que não se vão prolongar pelo resto do ano. O PIB registou, em termos homólogos, um aumento de 1,2% no primeiro trimestre, mas caiu 0,7% face ao trimestre anterior, de acordo com a estimativa rápida do INE.

O ministro da Presidência, Marques Guedes, revela que o Governo vê com "tranquilidade" a queda de 0,7% do PIB no primeiro trimestre, face ao anterior, porque se deve a factores que não se vão prolongar pelo resto do ano.

"O que convém reter é a continuação do crescimento económico, e em linha com as previsões do Orçamento de Estado para 2014", afirmou Marques Guedes esta quinta-feira, no final do Conselho de Ministros.

Governante considera que "a oscilação" registada no Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre "deve-se, no ponto de vista do Governo, a factores conhecidos como o encerramento da refinaria da Galp ou da AutoEuropa.

"Tudo matérias que não são repetidas para o resto do ano. É com toda a tranquilidade que vemos estes números" do PIB, divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Marques Guedes salientou que, neste momento, a Galp "já retomou o seu funcionamento normal" e que que "a alteração de circunstâncias é já manifesta", mas ressalvou que "a prudência não pode deixar de ser palavra de ordem" do Governo.

O ministro remeteu os jornalistas para o Ministério das Finanças no que respeita a "questões mais específicas" relativas ao PIB.

O PIB registou, em termos homólogos, um aumento de 1,2% no primeiro trimestre, mas caiu 0,7% face ao trimestre anterior, de acordo com a estimativa rápida do INE. O desempenho trimestral da economia ficou, assim, abaixo da média das estimativas dos analistas consultados pela Lusa, que previam que o PIB tivesse crescido cerca 0,4% no primeiro trimestre de 2014 face ao trimestre anterior.