O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.

Plataforma pela Floresta contra liberalização da plantação de espécies exóticas

22 jan, 2014

Decreto-lei aprovado em Julho do ano passado tem graves problemas e deve ser revogado, exigem os membros desta plataforma.

A Plataforma pela Floresta, recentemente criada, exige a revogação do decreto-lei, aprovado em Julho do ano passado, que permite a liberalização da plantação de espécies exóticas em mais de 80% das propriedades florestais de Portugal.

João Camargo, da Liga para a Protecção da Natureza, uma das associações subscritoras da plataforma, alerta para “graves problemas na legislação”, que ficaram “patentes” nas audições parlamentares que ocorreram recentemente.

“O abandono é bastante claro, desordenamento territorial, uma incapacidade de realizar o potencial pleno das zonas de intervenção florestal e, claro, a alteração que se tem produzido na composição da floresta que, neste momento, já é predominantemente eucaliptal, a um elevadíssimo nível. É um dos maiores do mundo”, adverte João Camargo, em declarações à Renascença.

A Plataforma pela Floresta “exige que sejam tomadas medidas para travar” o diploma que liberalização da plantação de espécies exóticas em mais de 80% das propriedades florestais, porque “ao contrário de resolver os problemas, vai aumentá-los”.

Esta exigência já foi enviada para os organismos públicos que têm responsabilidades sobre o caso: Ministério da Agricultura, Ministério do Ambiente e Ministério da Administração Interna, explica João Camargo.

A Plataforma pela Floresta é composta por 20 organizações e 15 personalidades portuguesas.