|

Juízes “absolutamente indignados” reúnem-se para decidir o que fazer

09 nov, 2013

Uma nova forma de protesto pode sair este sábado da assembleia geral que reúne juízes em Coimbra.


O descontentamento e a indignação dos juízes portugueses vai estar em análise na próxima assembleia geral da associação sindical dos juízes, que decorre este sábado em Coimbra.

Desde o orçamento do Estado, aos ataques constantes ao Tribunal Constitucional, passando pelo mapa judiciário tudo vai ser discutido e, no final, a Associação promete aprovar uma resolução para combater aquilo que chama de atropelo à Justiça.

Indignados com o tratamento da justiça e a dignificação da classe os juízes portugueses reúnem-se para tomar uma posição.

“O que vai estar em causa é a situação orçamental que se passa nos tribunais. Naturalmente que estão em causa as questões remuneratórias mas, sobretudo, está em causa a dignificação do exercício das funções judiciais, o enorme mal-estar e, sobretudo, uma grande indignação por se terem atingido os limites mínimos do modo como se exercem as funções”, disse o presidente da Associação Sindical dos Juízes portugueses.

Mouraz Lopes acrescenta que com o novo mapa judiciário chegou uma nova perplexidade: a diminuição do número de juízes.

Também os cortes salariais e os ataques aos juízes do Tribunal Constitucional têm abalado a classe. Na contestação a todas estas questões poderá estar a ser pensada uma greve ou um protesto? “Os juízes estão absolutamente indignados pelo modo como está a ser tratado o exercício da soberania que é a função de julgar. Achamos que o poder judicial está claramente desprotegido e é essa desprotecção que está a atingir os limites”, acrescentou.

Os juízes admitem avançar para um protesto no final desta reunião.